Modelo deve chegar ao Brasil no final de 2019 e irá concorrer diretamente com o Jeep Compass.

Muitas incertezas ainda rondam o futuro da montadora americana Ford, depois que foi declarado o fato polêmico nos Estados Unidos onde eles deixariam de comercializar hatches e sedans por lá. Já no mercado brasileiro, as coisas se apresentam estar mais bem definidas, visto que a marca esteve com uma forte presença no Salão Internacional do Automóvel da cidade de São Paulo, que ocorreu do dia 8 ao dia 18 deste mês novembro. Entre as novidades da montadora pode-se citar o novo Ford Territory, um SUV de porte médio fabricado na China que chegará ao mercado brasileiro para brigar de forma direta o Compass da Jeep e que esteve no evento em São Paulo para avaliar a aceitação do modelo diante do público e sendo assim tem grande possibilidade de desembarcar no Brasil.

O modelo que esteve no Salão da capital paulista foi trazido diretamente da China e como citado acima, a montadora o apresentou apenas para ver o nível de aceitação do público que esteve presente no evento. Foi apurado juntamente com os executivos da marca que o novo lançamento, o Territory, foi projetado para que tivesse um baixo custo para ser produzido e também permitisse ter um preço agressivo, mesmo que venha importado. Apesar de tê-lo apresentado, a montadora estadunidense ainda executa análises, buscando entender qual será a melhor maneira de comercializar o modelo por aqui, mas, caso ocorra como o planejado, o veículo chega em terras tupiniquins no final do ano que vem.

O Ford Territory teve sua apresentação realizada no mês de agosto na China, produzido por lá baseado no modelo JMC Yusheng S330, companhia esta que possui forte parceria com a Ford. O carro é um SUV de porte médio, o qual possui um comprimento de 4,58 metros, com largura de 1,93 m, 1,67 m de altura e distância entre eixos de 2,71 m. Pode ser comparado com o modelo da Jeep, o Compass, o qual possui um comprimento de 4,41 metros e distância de 2,63 metros no entre eixos. Ainda é dotado de um propulsor turbo com 1500 cilindradas e com capacidade para gerar 163 cavalos de potência – versão com turbo do 1.5 Dragon o qual também está presente no EcoSport e no Ford Ka – e transmissão automática com 6 velocidades, sempre tendo tração em seu eixo dianteiro.

Na parte interna, o modelo consegue disponibilizar um espaço amplo, sendo maior que o do Jeep Compass, além de ser moderno, onde oferece um painel digital e um grande display para sua central multimídia. O ponto único que dá abertura para questionamento é que, ao bater o olho, o modelo não se parece com carro Ford, isso porque seus componentes e seu design são bem diferentes dos outros veículos da marca que são comercializados aqui no mercado brasileiro.

Afinal não é muito complicado de entender o motivo da Ford ter apostado em um utilitário esportivo médio. Sabe-se que o modelo mais comercializado dentre o segmento de SUV’s é de fato o Jeep Compass, um automóvel que tem um valor sugerido, por sua montadora, que ultrapassa a cifra dos R$ 100 mil e que tem uma quantidade de emplacamento muito superior a modelos que chegam a custar até R$ 30 mil a menos do que ele. E atualmente a aposta da montadora no mercado dos compactos, posição que é ocupada pelo EcoSport, não teve força suficiente para que conseguisse atingir o topo da lista. Sendo assim a empresa acredita que vender um modelo mais caro, isto é, possui uma margem de lucro maior e é inédito no mercado, irá ajudá-los a melhorar sua imagem.

Por Filipe Silva

Ford Territory

Ford Territory

Ford Territory


Nova linha do Ford Ka 2019 tem mudanças importantes e conta com câmbio automático.

O Ford Ka 2019 chega com muitas novidades. A primeira delas é o câmbio automático. Esse carro vem também com algumas melhorias na parte interna e externa.

O Ford Ka 2019 é um modelo que tem tudo para ser um sucesso, pois suas versões anteriores conseguiram alcançar um público significativo., e é por essa razão que esse carro é considerado popular e de fácil aceitação pela maioria dos usuários de carros. Veja agora as principais informações sobre essa novidade da Ford.

Ford Ka 2019 tem câmbio automático

A principal mudança do novo carro da Ford Ka 2019 é o câmbio automático com 6 opções de marchas. Essa é uma notícia que vai animar a muitos consumidores de carros, já que a grande maioria sentia falta desse detalhe na linha da Ford Ka. Por essa razão, o Ford Ka 2019 tem muitas chances de bater seu recorde de vendas.

Veja algumas mudanças na parte externa desse carro

A parte externa do Ford Ka 2019 também passou por algumas mudanças, e entre elas estão a colocação de aços de alta resistência na estrutura do carro e reforços adicionados no teto e nos pilares do carro. O visual de modelo ficou mais moderno na parte do para-choque, na grade e no desenho dos faróis. Tudo isso foi para agradar ainda mais o público do Ford Ka 2019.

Mudança na parte interna do Ford Ka 2019

A parte interna desse carro também passou por uma mudança bem interessante, que é a sua central multimídia. Agora esse modelo conta com tela de 6,5 polegadas e ela tem muitas funções importantes. Além de ser compatível com Apple CarPlay e Android, além de ter também a câmera de ré. Essa mudança foi feita pensando no bem-estar de todos os usuários do carro, e para tornar as viagens no veículo mais prazerosas.

Porta-malas com bom tamanho

Porta-malas de qualquer carro é um fator decisivo na hora de efetuar a compra, muitas pessoas precisam desse espaço para transportar diversas coisas. No caso do Ford Ka 2019, ele possui 257 litros e esse tamanho é considerado ideal pela maioria das pessoas. Então essa informação também pode ser vista como positiva.

Falando sobre a motorização desse carro

A parte do motor vem com duas opções que são o motor 1.0 Flex que faz a velocidade máxima de 85 cv com álcool e 80 cv com gasolina. A segunda opção é o motor 1.5 Flex que faz a velocidade máxima de 105 cv com gasolina e 100 cv com álcool. A escolha do motor depende também da versão escolhida.

Valor do Ford Ka 2019

O valor do novo Ford Ka 2019 pode variar muito. A sua versão de entrada custa R$43.760,00 e a versão mais moderna custa R$54.690,00. Todas as versões possuem funções modernas e bom motor, o que muda são pequenos de detalhes, que depende apenas do gosto de cada cliente.

Design chamativo e moderno

Outra informação bem importante sobre esse carro, é que ele possui um design muito bonito. O que se sente ao olhar o Ford Ka 2019 é que ele tem visual moderno e muito chamativo. E isso se torna mais especial por ele ser um carro popular.

Carro resistente a impactos

Com a mudança na estrutura desse carro, é possível afirmar que sua estrutura ficou mais firme e resistente a alguns impactos. Essa é uma mudança que vai agradar a muitas pessoas, principalmente aquelas que andam por todo tipo de estrada.

Informações sobre consumo médio do Ford Ka 2019 na versão de entrada

Veja o consumo médio baseado na versão de entrada. Com motor 1.0 Flex:

Na estrada

Se abastecido com gasolina ele faz 15.1km/l e com álcool ele faz 10.4 km/l.

Na cidade

Se abastecido com gasolina ele faz 13.0 km/l e com álcool ele faz 8.9 km/l.

Consumo médio do Ford Ka na versão com motor 1.5 Flex

Na estrada

Se abastecido com gasolina ele faz 13.6 km/l e com álcool ele faz 9.5 km/l.

Na cidade

Se abastecido com gasolina ele faz 11.5 km/l e álcool ele faz 7.9 km/l.

Essas são as informações do Ford Ka 2019!

Por Cristiane Amaral

Ford Ka 2019

Ford Ka 2019

Ford Ka 2019


Pelas fotos da para avaliar todo o estilo e beleza do novo lançamento reestilizado do Onix.

A Chevrolet lançou na segunda-feira (25) a primeira reestilização do Onix, que deve estrear a linha 2017 ao lado da versão Activ, pronta para aventura. Em sua primeira versão o carro que mais vendeu no país teve seu lançamento em 2012 e agora retorna com visual totalmente repaginado.

Os faróis ficaram mais incorporados e ganharam assinatura em Led, já as duas grades receberam uma afinada. Esses extras também estão valendo para o Sedã Prisma, que ganhou mais um brinde, algo como um ‘aerofólio’ unido a tampa traseira.

A nova versão do Activ 2017 foi equipada com um “peito de aço” na parte debaixo do para-choque frontal. Ganhou pintura na cor preta na peça que rodeia os faróis de neblina, já as caixas de roda exibem moldura em plástico negro e barras compridas no teto. E se não bastasse tanta transformação, o modelo ganhou desenho exclusivo para as rodas.

Os modernos utilitários Onix e Prisma ganharam para-choque novo na traseira e na parte de fora da corroceria as lanternas foram discretamente puxadas para baixo, no canto externo. No seu interior receberam a Central MyLink de segunda geração e as portas ganharam um novo conjunto de puxadores. Sem falar dos tecidos da forração interna, pra lá de modernos, além de sistema de monitorização e concierge OnStar.

Os motores 1.0 e 1.4 receberam atenção redobrada, além de modificações para menor consumo, com pneus de baixa resistência a rolagem. As cinco marchas que eram manuais foram trocadas por uma de seis velocidades, cedendo lugar ao sistema elétrico. Tudo em prol do baixo consumo de gasolina.

A GM recebeu nota A no Programa Brasileiro de Etiquetagem, melhorando em 18% com o Onix e 22% com o Prisma. Os preços acompanham o mercado e podem ser encontrados a partir de R$ 53.690 o Sedã Prisma e o Onix a partir de R$ 44.890. Contudo, as mudanças trouxeram as versões com mais variedades, pode-se encontra-las nas versões LT, LTZ e Activ. Segundo informação em primeira mão da Carplace, a versão LS será trocada pela configuração básica do Onix mais antigo.

Não perca o lançamento da marca à imprensa no dia 5 de agosto.

Por Ruth Galvão


Confira aqui o preço e as principais novidades presentes no Novo Ford Edge.

Um pouco atrasado, mas finalmente o mercado brasileiro pode assistir o lançamento do novo Ford Edge. A segunda geração do Edge está vindo importado do Canadá em uma única versão topo da linha Titanium, com uma potência no motor de 3.5 V6 e o preço um pouco alto, mas tabelado, de R$ 229.900.

A primeira geração do crossover chegou ao Brasil em 2008 e no seu segundo lançamento em nova plataforma mostra maior quantidade de elementos do Fusion. Ele tem agora 8 airbags, um foi instalado no porta-luvas do carro, para proteção dos passageiros. Além disso, agora o carro possui cintos laterais na parte traseira infláveis, tornando-se o primeiro carro no Brasil a mostrar tal recurso.

O novo utilitário também destaca-se por apresentar tecnologias de auxílio ao condutor, a exemplo da câmera dianteira de 180 graus, do piloto automático (que é adaptado com alerta de colisão) e do sistema para permanecer na faixa (o condutor vai sentir a direção vibrar se o carro sair da faixa).

Mas não para por aí o prazer de rodar com essa máquina, agora dá para desfrutar a nova direção elétrica e dá para mudar a relação se houver necessidade, por conta do assistente dinâmico de direção. Para auxiliar, a direção conta ainda com controle de rolagem nas curvas, tração de 4WD (que controla a estabilidade) e motor V6 de 3.5. Além de todas essas tecnologias, o Edge possui chave que dá para programar e limitar algumas funções do carro (a exemplo do manobrista).

A Ford pensou em tudo para mimar seus clientes, até o porta-malas ganhou um item para facilitar quando estiver com as mãos ocupadas, basta passar o pé sob o para-choque traseiro que o porta-malas abre. A Ford equipou o possante com sistema de vaga automático, podendo funcionar em vagas paralelas e perpendiculares e ainda faz entrada e saída da vaga.

Os passageiros que estão no assento traseiro vão desfrutar dessas tecnologias com duas telas de DVD nos encostos de cabeça da frente, esse item é opcional por R$ 5.000. E se quiser mais modernidades o teto solar panorâmico é mais um opcional, por R$ 5.000.

Ruth Galvão de Andrade


Modelo tem inspiração na Range Rover Evoque e irá concorrer com Honda HR-V.

Para quem acompanha de perto as notícias do setor automobilístico no Brasil já deve ter percebido que a Nissan estava precisando de algo que fosse um pouco diferente para impulsionar as vendas da marca por aqui, além de tirar um pouco da ociosidade que a fábrica de Resende, no estado do Rio de Janeiro, se encontrava entregue já que por lá só estavam saindo o Versa e o March. Com isso em mente, a montadora resolveu apostar nos SUVs compactos. O motivo é mais do que óbvio: Em um período de cinco anos esse segmento saltou de 2% para 10% no mercado nacional. Para encarar essas dificuldades e se sair bem, a marca lançou em 2016 o Kicks.

Ao que parece a Nissan está depositando muitas fichas na novidade. De acordo com as informações divulgadas até agora, o propósito é que sejam importadas do México no mínimo 3.000 unidades por mês, sendo que o modelo será disponibilizado primeiro em nosso mercado.

Para 2017, no mais tardar até o mês de março, a produção nacional já deve ter começado.

O Kicks chama a atenção por diversos aspectos. Na parte da frente vamos encontrar a grade cromada em formato V, uma “assinatura” em LED e faróis bastante avantajados.

O desenho do carro parece ter tido inspirações vindas de modelos já consagrados. Um bom exemplo é a coluna traseira, que conta com detalhes que remetem ao Range Rover Evoque, que digamos de passagem, caiu no gosto dos consumidores no mundo inteiro.

E já que estamos falando de “aparências”, outra coincidência (ou não) é a distância entre-eixos de 2,61m, que é a mesma do Honda HR-V. A largura e altura também são bastante semelhantes ao crossover da Honda. Isso por si só deixa claro quem é o principal alvo da marca com o Kicks. Já a arquitetura do carro é a mesma reforçada presente no Versa.

O interior do Kicks traz uma pitada de ousadia e modernidade. Temos uma tela multimídia de 7 polegadas, que conta com um quadro de instrumentos totalmente digital com 12 opções de configurações. Esse detalhe é exclusividade do segmento.

Entre os recursos eletrônicos que merecem destaque temos um sistema de visão em 360 graus. Isso só é possível graças ao uso de quatro câmeras: duas embaixo dos retrovisores externos, a frontal e a traseira. Além delas ainda há o sensor traseiro de obstáculos.

O preço da versão completa do modelo fica em R$ 89.990. E a briga já começa por aí. O valor é cerca de 10% mais baixo do que o HR-V topo de linha.

Por Denisson Soares


Renault Alaskan é apresentada na Colômbia mas deve chegar ao Brasil apenas em 2018.

Não é de hoje que a Renault vem se destacando com a produção de novos modelos em um mercado extremamente competitivo. Pois nessa quinta-feira, dia 30 de junho, a montadora mostrou seu mais novo lançamento na Colômbia, a Alaskan. Na versão final de picape média, o Brasil somente receberá o modelo em 2018, logo que a mesma chegar na Argentina, em Córdoba, para início da produção.

Porém, quem não quer esperar para ver o carro de perto, pode ir até o Salão do Automóvel de São Paulo, que acontecerá no mês de novembro. A agenda de comercialização da picape iniciará na Colômbia, ainda em 2016, passando pela Argentina em 2017.

Com valor competitivo, de acordo com a montadora e o vice-presidente sênior da Renault para as Américas, Olivier Murguet, o preço do Alaskan não foi divulgado para a imprensa, porém, este será atrativo se comparado aos dos maiores rivais na categoria, a Chevrolet S10, o Ford Ranger, a Toyota Hilux, entre outras. Conforme Murguet, a Renault não possui a arrogância de entrar num segmento como este e vender o seu produto com preço ainda maior que os concorrentes.

Sendo assim, em relação aos motores do veículo, estes serão comercializados em duas versões a diesel: na 2.3 com 160 cv e 190 cv, além da 2.5 com 160 cv e 190 cv. A picape ainda possui um modelo 2.5 a gasolina, de 160 cv.

Para o Brasil, será vendido o motor 2.3, com câmbios automático ou manual e tração 4×2 ou 4×4. Além disso, a montadora Renault já adiantou que colocará a disposição também versões em cabine simples e dupla. As medidas da picape não foram divulgadas, mas sabe-se que a distância do solo será de 23 centímetros, com suspensão do tipo multilink de cinco braços, além de assistente de partida e descida em rampa.

Complementando, haverá câmeras 360º, sistema de chave inteligente e partida pressionando um botão, além de ar condicionado de duas zonas, conectividade e muito conforto para até cinco pessoas.

Ao que tudo indica a aposta irá atrair muitos olhares, sendo que a Alaskan entra no portfólio da empresa como a segunda picape da marca Renault, sendo a primeira a Duster Oroch, que foi lançada no fim de 2015 no país. Com visual autêntico, levando em conta a identidade da montadora, resta esperar pelo modelo que, de acordo com a Renault, precisa deste tempo para amadurecer o projeto.

Kellen Kunz


Nova picape deve chegar ao Brasil com duas opções de motor e custando cerca de R$ 106 mil.

Ainda que sem a confirmação da Toyota, a picape mais vendida do mundo será lançada a fim de manter-se no ranking. A fabricante confirmou a fabricação da nova geração do modelo, mas não divulgou data para lançamento da Nova Hilux 2017. Algumas especulações dizem que o design ficou ainda mais arrojado.

A Mudança

Com design mais moderno, a Nova Hilux 2017 aumentou um pouco o tamanho (aproximadamente sete centímetros), o que deixou o espaço interno mais amplo. Também agora com faróis de LED diurnos e mais alongados, a suspensão está mais suave e estável, A versão com cabine dupla continua comportando cinco adultos e sua caçamba permanece com capacidade para até 1000 litros.

O interior da Nova Hilux 2017

Internamente não ficou diferente, a Nova Hilux 2017 conta com Ar condicionado automático One Zone; Central Multimídia completa (DVD, USB, GPS e TV); Volante Multifuncional (ajusta altura e profundidade); Porta-Luvas Climatizado; Ajuste Elétrico do Banco do Motorista; Controle de Tração; Controle de Estabilidade, entre outras funções.

Mas como dito anteriormente, pode ser que a Toyota esteja guardando segredo sobre novas reformulações no interior do automóvel, vez que nada foi oficialmente divulgado.

Tração, Motor e Consumo da Nova Hilux 2017

A Nova Hilux 2017 está disponível em 2 motores, da mesma forma que o modelo anterior.

O 2.7 a Gasolina (com 167 cv de potência) e o 2.8 Turbo Diesel (com 177 cv de potência).

A tração ficou também em dois tipos. A 4×2 e a 4×4 com câmbio manual ou automático, de acordo com a escolha.

O consumo da versão Diesel chega a 10,5 km/L na estrada, se comparada a versão Flex é bem econômica, já que essa faz em torno de 7,9km/L na estrada com Gasolina.

Os valores variam de acordo com o modelo escolhido. Saem a partir de R$ 106.500,00 (Cento e seis mil e quinhentos reais).

Aparentemente as mudanças são poucas, mas não há ficha técnica da Nova Hilux 2017 divulgada pela Toyota, apenas especulações.

Para os amantes da picape a ansiedade é grande, mas ainda falta um pouco para grande chegada ao mercado brasileiro. Até o momento a Toyota não divulgou nada sobre o lançamento, o que deixa a expectativa ainda maior, no entanto, auxilia no momento do lançamento, fazendo as vendas alavancarem.

Carol de Castro


Modelo chega às concessionárias italianas custando cerca de 20 mil euros.

A grande e renomada fabricante de veículos automotores Fiat, após ter lançado o Fiat Qubo há cerca de oito anos no mercado italiano, acabou de fazer a estreia da sua versão 2016 com algumas novidades no seu visual. No mercado italiano, o Qubo será disponibilizado aos consumidores em três versões distintas de acabamento, sendo estas denominadas: Easy, Lounge e Trekking. Para aqueles que ainda não conhecem este veículo da Fiat, que é produzido no continente europeu, ele nada mais é do que uma minivan, nessa nova versão o Qubo será comercializado com preços que variam entre 13.950 euros e 20.200 euros.

Com relação à estética, o novo Qubo 2016 teve parte de suas linhas retiradas da conhecida picape Toro, sendo que o veículo foi contemplado com para-choques redesenhados, novo formato nos faróis e neblina, nova grade frontal, bem como nova tampa no porta-malas, o qual possui um detalhe horizontal na cor preta. Outra grande novidade trazida pelo Fiat Qubo é a presença de lindas rodas de liga-leve nos tamanhos 15 e 16 polegadas.

Já na parte interna, as novidades trazidas pelo modelo ficaram por conta da presença de um novo volante, novo grafismo no painel de instrumentos, novo sistema de entretenimento dotado de tela sensível o toque no tamanho de cinco polegadas e navegador. Na cabine, o Qubo oferta aos proprietários 16 tipos de configurações distintas de assento, a capacidade de ampliar o porta-malas do veículo, podendo chegar a 2.500 litros, caso os bancos sejam rebatidos, sem o rebatimento dos assentos o compartimento possui uma capacidade de 300 litros.

Os propulsores disponibilizados para este novo modelo da Fiat são o 1.4 litro Fire (movido a gasolina, com potência máxima de 77 cavalos), o 1.4 litro Natural Power (movido à gás natural e com potência máxima de 70 cavalos), o 1.3 litro Multijet Turbodiesel (de 80 cavalos) e o 1.3 litro Multijet Turbodiesel (de 95 cavalos de potência). Todas as configurações do Qubo são disponibilizadas ao consumidor com câmbio de cinco marchas nas versões manual ou Dualogic.

Dentre os acessórios, a versão topo de linha do Qubo oferta airbags laterais e frontais, freios ABS com sistema de controle de estabilidade, assistente de partida em declives, trio elétrico, ar-condicionado, sistema de som com CD/MP3, acabamento interno integralmente confeccionado em couro, controle de cruzeiro, dentre outros.

Por Adriano Oliveira


4ª Geração do Carro Híbrido chegará ao país custando R$ 119 mil.

A Toyota vai lançar no mercado brasileiro nesta quarta, dia 08 de junho, o novo Prius. O objetivo da montadora é fazer com que o conceito de automóvel híbrido seja “abraçado” pelos consumidores. Desta maneira, a Toyota tentou manter o custo do veículo muito próximo do que era praticado, sendo que a versão única ficará no preço de R$ 119.950. Isso vai de encontro com que foi realizado com o SW4 e a Hilux, que tiveram aumento significativo dos preços.

O novo Prius vai chegar com sete opções de cores na venda, sendo elas: preto, branco, cinza, prata, azul e o vermelho.

Os itens de série

O carro contará com rodas de liga leve com aro 15, sete airbags, alarme, controle de estabilidade e tração, faróis de neblina e lanternas em LED, portas que destravam através de sensor de proximidade da chave, bancos em couro sintético, volante multifuncional em couro, tela touchscreen de 7 polegadas, TV Digital, GPS, câmera de ré, conexão para bluetooth e cabo USB, rádio, CD, carregador para celulares, entre outros.

Ecologicamente correto

Esse é o grande objetivo do novo Prius e tenta conseguir êxito com o seu motor 1.8 movido a gasolina. O propulsor é de ciclo Atkinson e apresenta um comando variável de válvulas. O conjunto foi recalibrado para que se tornasse ligeiramente menos forte. A sua configuração fica com 98 cavalos de potência com 5.600 rpm e 14,2 kgfm de torque com 3.600 rotações por minuto.

O bloco vai trabalhar ao lado de um motor elétrico com potência de 72 cavalos e torque de 16,6 kgfm. Com isso, a potência fica num total de 123 cavalos. A Toyota aponta que o consumo ficará 20% melhor em comparação com a versão anterior. De acordo com o Inmetro em seu Programa de Etiquetagem, o Prius se encontra na primeira colocação com média de consumo que fica de 18,9 km/l na cidade e 17 km/l na estrada.

O modelo vai chegar com uma transmissão CVT, mas ainda com a manopla no formato de controle de videogames e os freios que também continuam regenerativos.

Tecnologia

O Prius apresenta o seu computador de bordo com um display de 4,2 polegadas. Nele, o motorista conseguirá fazer ajustes, como o modo Eco Wallet, por exemplo, onde você vai conseguir observar o tempo de uso no modo totalmente elétrico e a economia de combustível que ocorreu com a ajuda da bateria feita de níquel.

O veículo, em um primeiro momento, terá a sua importação do Japão, mas há uma chance mínima que ele seja nacionalizado no ano de 2018. 


Modelo deve retornar ao país todo repaginado. Previsão é que o modelo seja apresentado ainda este mês em um Festival no Reino Unido.

Um novo carro, porém, que já esteve no mercado há alguns aos atrás está de volta. Certamente, os leitores e conhecedores mais assíduos de automotores identificarão o carro apenas pelas características iniciais que citaremos.

Primeiramente, cabe ressaltar que falaremos de um carinho que, quando foi lançado em anos anteriores, era quadrado, não possuía muita potência, seu nome era hilário e agradava há poucas pessoas com seu estilo mais, digamos, antiquado. Ah!, além disso, esse carrinho que citamos era fabricado pela Renault Motors.

Pois bem, para aqueles que pensaram no Twingo, acertaram de forma brilhante. Meus caros, ele está de volta e agora veio com tudo.

Com o visual totalmente modificado, nada lembra aquele Twingo antigo e quadrado. Diga-se de passagem, o Novo Twingo muito lembra o Fiat 500.

Algo que muito chama atenção nessa nova versão do carro da Renault é o seu motor 0.9. Isso mesmo, 0.9, meus amigos. Apesar de teoricamente ser inferior ao carro 1.0, esse motor gera 110 cv de potência máxima, o que chega a ser surpreendente. Porém, é importante destacar que a versão com 110 cv será a “RS”, uma versão mais esportiva do modelo. O carro normal conta com potência de 90 cv, o que haja vista as pequenas proporções do veículo, tende a atender às necessidades de utilização do motor. Além de uma potência um pouco mais avantajada, a versão esportiva conta com tração traseira, fato que não é muito comum.

Apesar de suas pequenas dimensões, o carrinho da Renault, na versão RS, conta com rodas de liga leve aro 17, canos de descarga em dose dupla, além de uma faixa preta que passa todo o teto do carro, que pode ser encontrado nas cores branco, cinza, preto e laranja.

Creio que os leitores e os apaixonados pelo veículo da montadora francesa já ficaram ansiosos para saber quando o Renault Twingo em suas mais diversas versões chega ao mercado brasileiro. Segundo informações, o modelo deve ser apresentado no final deste mês em um Festival no Reino Unido.

Até lá, devemos aguardar pelos anúncios de fotos da parte interna do veículo, haja vista a Renault não ter disponibilizado essas imagens em sua chamada de lançamento.

RAQUEL ALICE MOREIRA


Novo veículo será o 1.0 mais potente a ser comercializado no Brasil.

A grande e renomada fabricante de veículos automotores Ford fez o anúncio oficial nessa última quarta-feira, dia 25 de maio de 2016, a respeito do lançamento do propulsor 1.0 Ecoboost aqui no Brasil. Este motor é composto por turbocompressor e três cilindros, sendo que ele possui a capacidade de produzir uma potência de 125 cavalos quando abastecido com gasolina, porém, convém ressaltar que este propulsor não será disponibilizado aqui no país na versão flex. Com essa configuração, esse novo motor da Ford será atualmente o 1.0 mais possante comercializado no país, inclusive superando até mesmo os 105 cavalos produzidos pelos motores utilizados no Hyundai HB20 Turbo, bem como do Volkswagen UP! TS!, ambos na versão flex.

Inicialmente esse novo propulsor da Ford será utilizado pela fabricante no New Fiesta, sendo que neste veículo ele irá trabalhar em conjunto com o câmbio automatizado Powershift, o qual atualmente é utilizado com o propulsor Sigma tetra-cilíndrico.

Apesar de a Ford não confirmar os boatos a respeito de que este motor será utilizado na série topo de linha do New Fiesta, a Titanium, muitos já arriscam em dizer que essa informação é verídica, haja vista que o modelo já foi inclusive flagrado em alguns testes com esse novo motor.

Segundo os dados estatísticos da própria fabricante, este novo motor batizado com o nome de EcoBoost possui a capacidade de produzir uma economia de até 20% a mais que os outros modelos, além de conseguir uma redução de até 15% nos níveis de emissão de gás carbônico.

De acordo com as estimativas da Ford, o New Fiesta equipado com este novo motor chegará às concessionárias da marca no próximo mês de julho, contudo, até o momento, a empresa não fez a divulgação de quais serão os valores de mercado desse grande lançamento. Atualmente a versão Titanium vem de série equipada com o propulsor 1.6.

Com relação à potência, a fabricante relata que tanto o modelo Sigma 1.6 quanto o novo 1.6 Ecobooster são capazes de produzir a mesma potência, todavia o turbo faz com que o veículo consiga acelerar de 0 a 100 Km/h na incrível marca de 9,6 segundos, enquanto o 1.6 consegue chegar nessa mesma velocidade em 12,1 segundos, vale ressaltar que essa mensuração foi realizada com veículo equipado com câmbio automatizado.


Modelo é idêntico ao Trendline de 4 portas e custará a partir de R$ 33 mil.

Não é novidade para nenhum consumidor brasileiro a afirmativa de que o Gol é um dos modelos de maior sucesso da Volkswagen por aqui e que ano após ano o veículo consegue ter um excelente desempenho frente aos seus principais concorrentes do mercado nacional. É nessa perspectiva que a Volkswagen mais uma vez apresenta mais uma nova configuração na versão de entrada do Gol, a qual agora passará a contar também com a carroceria com duas portas. Essa nova versão do veículo foi baseada configuração Trendline, sendo que neste primeiro momento essa variante do modelo chegará ao mercado com preço sugerido em R$ 33.620, valor este que representa uma redução de R$ 1.930 em relação a versão do veículo que contém a carroceria com quatro portas.

Incialmente este novo modelo sairá de fábrica com a lista de equipamentos de série idêntica aos da versão Trendline com quatro portas, ou seja, o veículo será disponibilizado com a presença de vidros e travas elétricas, direção hidráulica, airbags dianteiros, alerta de não colocação do cinto de segurança para o condutor, desembaçador do vidro traseiro, limpador e lavador do vidro traseiro, freios ABS com tecnologia antitravamento, banco do condutor com ajuste de altura, faróis escurecidos e rodas confeccionadas em aço tamanho aro 14.

Essa nova versão do Gol chegará ao mercado com um propulsor de três cilindros, o qual é capaz de produzir uma potência máxima de até 82 cavalos quando abastecido com etanol, conjunto mecânico este que trabalha em conjunto com uma transmissão manual de cinco velocidades. Os opcionais que serão ofertados pela fabricante junto com essa nova versão do Gol Tredline de duas portas serão ar condicionado pelo valor de R$ 2.840, bem como os rádios e as centrais multimídias que terão valores variando entre R$ 850 e R$ 1.780.

O certo é que esta nova versão do Gol com carroceria contendo duas portas deverá aumentar as vendas do modelo, haja vista que muitas empresas de serviços, locadoras de veículos e alguns outros ramos, tem uma preferência muito grande por este tipo de veículo, principalmente por ter uma vasta opção de mão de obra para fazer a manutenção dos veículos em todo território nacional, bem como pelo baixo custo das peças de reposição em comparação aos principais concorrentes.

Por Adriano Oliveira


Montadora irá abrir uma fábrica em Goianésia. Investimentos da empresa chinesa no país devem chegar a R$ 150 milhões.

Nos últimos anos, diversas empresas estrangeiras do setor automobilístico estão se inserindo no Brasil, a fim de buscar a expansão dos seus negócios em um mercado promissor. É neste contexto que a fabricante de automóveis Zotye é mais uma que está entrando no país para comercializar os seus veículos. Esta empresa até então pouco conhecida por aqui, já assinou um termo de compromisso com o Governo do Estado de Goiás, termo este que versa a respeito da construção de uma fábrica de unidade no estado, mais especificamente na cidade de Goianésia, cidade interiorana que fica situada a cerca de 170 Km da cidade de Goiânia, capital.

Para fazer a inauguração dessa unidade fabril estima-se que haverá um investimento de R$ 150 milhões e a previsão da inauguração e início das atividades dessa empresa é para o ano de 2018.

O porte dessa unidade será para produção anual de 20 mil veículos, sendo que inicialmente ela produzirá a principal aposta da Zotye para o mercado nacional, que será o veículo subcompacto batizado com o nome de Z100 Logic, que chegará por aqui com versões movidas tanto a gasolina quanto elétrica. Em termos de comparação, este veículo possui o mesmo porte dos recém-lançados por aqui Fiat Mobi e do Volkswagen Up!. O propulsor que equipará este veículo será um modelo 1.0 dotado de três cilindros. Este motor terá a capacidade de entregar ao veículo uma potência máxima de 68 cavalos e um torque de 12,4 Kgfm, sendo que terá somente o câmbio manual de cinco velocidades.

Segundo as previsões feitas anteriormente pela empresa, a inserção do Z100 aqui no país está atrasada, pois era para ocorrer no ano de 2015. Apesar do contratempo, o objetivo da Zotye é iniciar as vendas deste modelo por aqui até o final do ano de 2016, mas como a unidade de fabricação nacional ainda não vai estar em funcionamento, as primeiras unidade deste subcompacto inicialmente serão trazidas diretamente da China.

O principal atrativo que este modelo irá trazer para os consumidores brasileiros será o de vir de fábrica com versões completas, tais como as primeiras versões que já foram trazidas para o Brasil para que fosse feita a homologação e já chegaram por aqui com ar-condicionado, alarme, faróis de neblina, direção hidráulica, sistema de freios ABS com tecnologia EBD, rodas de liga leve, Isofix, sensor de estacionamento a parte traseira, trio elétrico, rádio com CD MP3, além de sistema de travamento automático para as portas a 10 Km/h. A versão final que será comercializada terá, além de modificações visuais, itens essenciais como o terceiro encosto de cabeça para o assento traseiro.

Por Adriano Oliveira


Modelo manteve o mesmo design mas ganhou uma série de itens.

Nesta terça-feira, 19 de abril de 2016, a Toyota realizou o lançamento oficial do novo Toyota Etios 2017. Apesar de não possuir alterações na parte estética, saiba que o automóvel vem recheado de novidades nos outros quesitos. Dentre as principais novidades, podemos destacar: novo conjunto de motores; novas opções de câmbio, sendo o mesmo manual de 6 marchas ou automático de 4 marchas; além de pequenas mudanças em seu acabamento. A versão mais simples custa R$ 43.990, enquanto que a top de linha sai por R$ 60.825.

Um dos grandes destaques do Etios 2017 são sem sombra de dúvidas os novos equipamentos. A versão X, também conhecida como espartana, dispõe de direção elétrica, vidros elétricos, ar-condicionado, travas elétricas, além de computador de bordo.

A versão XS, por sua vez, além dos itens da versão anterior, ainda conta com: rádio com Bluetooth e USB, câmbio automático, comandos de áudio no volante, cabine com detalhes cromados e controle de cruzeiro.

Já a XLS é a versão mais completa do Etios 2017. Sendo assim, além dos itens citados nas duas versões, a XLS ainda dispõe de rodas de liga leve de 15 polegadas, faróis de neblina, bancos em couro, central multimídia com a tecnologia de espelhamento de smartphone na tela e retrovisores com repetidores de seta.

Como já destacado no início desta matéria, a grande expectativa em relação a este lançamento gira em torno do novo conjunto de motores. Vale ressaltar que o conjunto manteve o deslocamento de 1.3 e 1.5 litro. Uma novidade muito interessante é que os novos motores passam a ser produzidos na sua fábrica em Porto Feliz, São Paulo. Com ainda mais tecnologia que sua geração anterior, os novos motores conseguem entregar 98 cv e 107 cv.

Um dos principais destaques dos novos motores é, sem sombra de dúvidas, a tecnologia de duplo comando variável de válvulas. Além disso, ainda podemos destacar o cabeçote de alumínio e os bicos injetores que têm como principal função o aquecimento do combustível antes mesmo da partida, com isso o tanquinho auxiliar já não é mais necessário.

O Etios 2017 também marca o fim do tradicional velocímetro analógico, haja vista a nova geração ter adotado um novo quadro de instrumentos digitais. O novo sistema dispõe de tela de 4,2 polegadas de TFT. Através desse painel você encontrará as seguintes informações: velocidade, nível de combustível, rotação do motor e a temperatura do motor.

Por Bruno Henrique


Confira aqui as principais novidades da nova Ford Ranger 2017. Modelo chega ao Brasil custando entre R$ 99 mil e R$ 179 mil.

A Ford anunciou recentemente a linha completa da nova Ranger 2017. Trata-se de uma das principais apostas da montadora estadunidense para 2016. A versão mais barata da Ranger 2017 custa nada menos que R$ 99.500 e vem equipada com motor 2.5 Flex e câmbio manual de cinco marchas.

Um dos principais destaques do lançamento é o motor Duratec 2.5 Flex, que é capaz de entregar 173/168 cv e 24,5/23,8 kgfm (etanol/gasolina). O mesmo dispõe do sistema eletrônico de partida Ford Easy Start, que possui como grande finalidade o fato de dispensar o tanquinho auxiliar de gasolina. Além disso, você também encontra a opção a diesel: 2.2 de 160 cv e 38,7 kgfm (câmbio manual de seis marchas) e 3.2 TDCi de cinco cilindros com 200 cv e 47 kgfm, acompanhado de transmissão automática de seis velocidades.

As versões XLS 2.5 Flex e 2.2 Diesel são acompanhadas de um grande número de itens de série. Dentre os quais podemos destacar: direção elétrica, computador de bordo, freios ABS com EBD, ajuste de altura e lombar do banco do motorista, retrovisores e travas elétricas, ar-condicionado, travamento automático das portas, sete airbags, volante com ajuste de altura, faróis de neblina, piloto automático, rodas de liga leve de 17 polegadas, dentre outros itens.

Já as versões XLT 2.5 Flex e 3.2 Diesel, além de possuírem os itens da versão anterior, ainda adiciona: ar-condicionado automático e digital, bancos e volante revestidos em couro, comandos de voz para áudio, painel de instrumentos acompanhado com duas telas de 4 polegadas (que são configuráveis por comandos no volante), monitoramento de pressão dos pneus, sensor de estacionamento traseiro, fechamento global das portas e vidros, dentre outros itens.

A versão Limited 3.2 Diesel, por sua vez, adiciona os seguintes itens: farol alto automático, bagageiro de teto, rebatimento e luz de aproximação, piloto automático adaptativo, rodas aro 18 polegadas, sistema de permanência em faixa, sensor de chuva, sensor de estacionamento dianteiro, ajuste elétrico do banco do motorista, retrovisores elétricos com piscas, dentre outros itens.

Confira abaixo os preços das versões da nova Ford Ranger 2017:

  • · 2.5 Flex XLS MT 4×2: R$ 99.500;
  • · 2.5 Flex XLT MT 4×2: 109.500;
  • · 2.2 Diesel XLS MT 4×4: R$ 129.900;
  • · 2.2 Diesel XLS AT 4×4: R$ 142.900;
  • · 3.2 Diesel XLT AT 4×4: R$ 166.900;
  • · 3.2 Diesel Limited AT 4×4: R$ 179.900.

Por Bruno Henrique


Modelo teve poucas mudanças e passou por um reajuste de preços.

A montadora Ford divulgou na terça-feira, dia 12, a linha 2017 dos modelos Ka e do Ka+. Os valores sofreram reajustes e o veículo passa a ser vendido a partir de R$ 41.990. Poucas mudanças ocorreram, como por exemplo, no banco traseiro (que agora será bipartido em todas as versões) e no assento central (que ganhou apoio de cabeça e cinto de segurança de 3 pontos, o que era apenas abdominal).

O Ka+ agora possui uma nova versão, a 1.5 SEL Plus, que possui sensor de ré e bancos de couro como itens exclusivos, sendo vendido por R$ 57.840.

Abaixo seguem os preços das respectivas versões do Ka:

  • SE 1.0: Com direção, ar, travas elétricas, vidros elétricos (dianteiros), rádio com Bluetooth, sistema Isofix para cadeirinhas, suporte para celular e USB. R$ 41.990.
  • SE Plus1.0: Acrescenta vidros elétricos traseiros, assistência de emergência e central multimídia com sistema Sync. R$ 44.390.
  • SEL 1.0: Acrescenta assistente de partida em rampa, farol de neblina, controle de estabilidade, além de rodas de liga leve aro 15 e retrovisores elétricos. R$ 48.140.
  • SE 1.5: Os mesmos itens do SE 1.0, porém, com motor 1.5. R$ 45.990.
  • SE Plus 1.5: Mesmos itens do SE Plus 1.0, mas com motor 1.5. R$ 48.390.
  • SEL 1.5: Mesmo pacote do SEL 1.0, com propulsor 1.5. R$ 52.140.

Preços das versões do Ford Ka+:

  • SE 1.0: Mesmo pacote do Ka SE 1.0. R$ 44.990.
  • SE Plus 1.0: Mesmo pacote do Ka SE Plus 1.0. R$ 47.390.
  • SEL 1.0: Mesmos itens do Ka SEL 1.0. R$ 51.140.
  • SE 1.5: Mesmo pacote do Ka SE 1.5. R$ 48.990.
  • SE Plus 1.5: Mesmo pacote do Ka SE Plus 1.6. R$ 51.390.
  • SEL 1.5: Mesmo pacote do Ka SEL 1.5. R$ 55.140.
  • SEL Plus 1.5: Mesmo pacote da SEL 1.5, incluindo sensor de estacionamento e bancos em couro. R$ 57.840.

A montadora também alterou o plano de revisões, tirando a dos primeiros 6 meses. Desta forma, as 3 primeiras revisões, que são necessárias para ter direito a garantia, serão feitas a cada 10 mil km rodados ou então anualmente. A primeira, de 10 mil ou 1 ano, custa R$ 268, a segunda sai por R$ 344 e a dos 30 mil km ou 3 anos custará R$ 428, representando assim uma diminuição de 32% no custo, se comparado ao plano anterior.

FILIPE R SILVA


Veículo terá três versões e será lançado oficialmente no dia 13 de abril de 2016.

Mesmo com a previsão de lançamento marcado para a próxima quarta-feira, dia 13 de abril de 2016, o mais novo lançamento da Fiat, o Mobi, já pode ser visto pelos consumidores nas diversas concessionárias da marca espalhadas pelo país, mas algumas fontes ligadas à Fiat estão afirmando que o modelo só terá a sua apresentação oficial do próximo dia 16 e alguns lojistas já estão arriscando em afirmar que o valor da versão de entrada, denominada Easy, será comercializada por R$ 28.990.

O Fiat Mobi, mais novo veículo compacto da Fiat, terá aqui no mecado nacional três versões, sendo estas denominadas: Like, Easy e Way. A versão batizada com o nome de Way terá um design mais aventureiro.

Para cumprir o seu objetivo, que é o de ser um veículo compacto e com preço abaixo dos R$ 30 mil, o Mobi, em comparação aos outros veículos, vem com um pacote de acessórios bastante reduzido, tanto que ele não possui limpador/lavador de vidro traseiro, nem grade, maçanetas e retrovisores pintados.

Com relação ao pacote de equipamentos, ele terá direção hidráulica e ar condicionado, contudo, sem direção elétrica. Outro atrativo será a presença de travas elétricas e vidros com acionamento elétrico nas portas dianteiras.

Segundo as notícias de bastidores que estão sendo divulgadas, a versão Easy On do Mobi é aguardada com um valor inferior a R$ 35 mil.

A versão intermediária denominada Like será comercializada com a presença de para-brisa degradê, preparação para som, painel com a presença de conta giros e maçanetas e retrovisores pintados na cor do carro. Caso os consumidores optem pela aquisição do Kit “On”, o veículo ganha ar, direção, vidro, trava e rodas de liga leve. Outro opcional disponibilizado é o sistema de som ou a Uconnect, central multimídia com tela de 5 polegadas, bem como GPS.

Já a versão aventureira batizada de Way virá com alguns itens da versão Like, porém, com inclusão de suspensão com uma elevação de 2 cm, caixas de roda com a presença de uma proteção plástica, calotas e rack de teto com desenho exclusivo. O kit Way On iá diposnibilizar direção hidráulica, ar-condicionado, rodas confeccionadas em liga leve com desenho exclusivo, travas elétricas e vidros elétricos nas portas dianteiras. Para ter a versão Way, que será o topo de linha do Mobi, os consumidores terão que desembolsar cerca de R$ 40 mil.

Agora só nos resta aguardar o lançamento oficial para saber maiores detalhes, bem como a confirmação dos valores deste compacto que deverá chamar a atenção de muitos consumidores.

Por Adriano Oliveira


Modelo chegará primeiro na Europa mas deverá ser lançado no Brasil para concorrer com o Novo Honda Civic.

A Toyota anda mesmo atenta com o “passo a passo” da concorrência. Na segunda metade deste ano, a décima geração do Honda Civic deve dar as caras em terras nacionais, como já foi anunciado pela fabricante. A Toyota, por sua vez, para não ficar para trás, já começou a trabalhar no Corolla. A montadora resolveu alterar a parte da frente nos modelos comercializados na Europa e também nos Estados Unidos. A expectativa é que essa modificação não demore a chegar ao Brasil.

Essas mudanças para o Corolla 2017 foram apresentadas primeiro no Corolla europeu. Vale lembrar que antes da alteração essa versão era igual ao modelo vendido aqui. Com a reestilização o carro agora tem novos faróis, lanternas com luzes de led, ligeiras modificações na grade e novas rodas e maçanetas.

A lista de itens de segurança oferecida junto com o modelo também recebeu um pequeno acréscimo. Nessa parte entram a frenagem automática para risco de colisão, comutação automática entre fachos alto e baixo, alerta para saída da faixa e leitura de placas da via.

A versão desenhada para os consumidores norte americanos conta com uma grade mais ampla e com os faróis relativamente menores que os mostrados no Corolla 2017 europeu. Curiosamente quem conhece o Toyota Prius e o Mirai pode encontrar algumas semelhanças entre estes modelos e aquele. O carro tem também leds para luz diurna nas extremidades de seu para-choque. Essa “característica” já vem sendo usada no mercado por outra concorrente: a Volkswagen.

Indo para os itens de série, bem como os opcionais, vamos encontrar para a versão americana o sistema Safety Sense-P, que agrega o controlador de distância à frente, assistente de farol alto, frenagem automática e alerta para faixa.

Para o mercado americano a Toyota ainda tem outra novidade. Para dar início as comemorações por lá dos seus 50 anos, a montadora anunciou que irá lançar a série especial 50th Anniversary Edition. A produção será limitada a um número máximo de oito mil unidades. Entre os principais diferenciais dessa série de aniversário estão as rodas aro 17, os bancos de couro e o teto solar.

Até o momento a Toyota não informou com mais detalhes quando as novidades chegarão ao mercado brasileiro. Mas considerando o andamento das coisas, estima-se que isso também ocorra no segundo semestre de 2016.

Por Denisson Soares


Novo modelo utilizará a plataforma MQB e contará com diversos itens de série.

O Volkswagen Polo, seja na versão sedã ou seja na versão hatch, é um modelo que há bastante tempo vem fazendo bastante sucesso no mercado nacional. E para aqueles que desejam saber qual será o destino do modelo nos próximos anos, a sexta geração do veículo, após cerca de dois ou três anos de especulação, já está com data marcada para fazer a sua estreia no continente europeu.

Conforme as informações que estão sendo veiculadas nos bastidores, o lançamento do veículo deverá ocorrer em meados do ano de 2017, provavelmente no mês de junho. Depois de ter passado por uma reformulação, o veículo irá abandonar a plataforma PQ25 e irá utilizar a plataforma conhecida como MQB na versão denominada A0. A produção deste modelo será feita na fábrica da Volkswagen localizada na Espanha, na cidade de Landaben.

Com relação ao design, o propósito da fabricante é fazer com que o Polo passe a ter uma aparência mais evoluída e madura, sendo que para isso a Volkswagen irá depositar as suas apostas na sua nova filosofia. Esta sexta geração do Polo continuará tendo versões com carrocerias de quatro e duas portas, porém, a grande inovação e que possivelmente irá agradar muitos consumidores do mercado europeu é o fato de nessa geração o veículo ganhar uma versão crossover, a qual possivelmente será derivada do conceito T-Cross Breeze.

Esse novo estilo que será adotado pela marca nessa nova versão do Polo conta como principais destaques a presença de um teto composto por linhas mais planas, para-brisa com grau maior de inclinação, bem como uma maior distância entre os eixos.

No quesito mecânico, o destaque fica por conta da escolha da plataforma modular mencionada acima, a MQB A0. Já os propulsores utilizados pela fabricante não sofreram alterações significativas se comparados com a atual linha utilizada pela marca, uma vez que eles serão constituídos pelos motores 1.4 TDI (capaz de produzir uma potência máxima de 75 cavalos) até o 2.0 TSI (capaz de produzir uma potência máxima de 231 cavalos).

No mercado europeu, os principais concorrentes que essa nova linha do Polo irá enfrentar serão o Hyundai i20, o Renault Clio, o Opel Corsa, bem como o Honda Jazz, que aqui no mercado nacional é conhecido com Fit. Por enquanto, não temos nenhuma notícia a respeito da chegada dessa nova geração do Polo no Brasil.

Por Adriano Oliveira


Montadora deve voltar a produzir modelos para retomar parte do mercado.

A famosa montadora Ford estaria prestes a ressuscitar a picape Ranger e o Ford Bronco no mercado americano.

A Ford se comprometeu em investir 9 bilhões de dólares em suas fábricas nos EUA, desta forma gerando 8.500 postos de trabalho.

A Ranger foi um modelo de grande sucesso no país americano e com isso a montadora pretende voltar a fabricar e consequentemente lançar o veículo no mercado. O carro seria montado em Wayne, Michigan, atualmente nesta fabrica são desenvolvidos o Ford Focus e C-Max, os quais iriam ser produzidos no México.

A Ford parou de produzir a antiga Ranger no ano de 2011 e fez um anúncio que a nova geração não chegaria ao país. Desta forma abriu mercado para suas concorrentes como o Chevrolet Colorado, o GMC Canyon e a S10, foi aí que a Ford começou a repensar sobre seus modelos.

Hoje em dia, a Ranger é o modelo mais universal da marca e é vendida em 200 países, mas não nos Estados Unidos, onde é o maior mercado de picapes do mundo. Para ter uma noção, era previsto que as vendas de picapes médias atingisse 360 mil, somente no ano passado.

Além disso, a picape Ranger traz também a possibilidade do retorno de um outro veículo, o famoso SUV Bronco. Um off road de muito sucesso no país norte americano entre os anos de 1980 e 1990. O Bronco foi fabricado até o ano de 1996 e teve uma releitura no ano de 2004, apresentado no Salão de Detroit. Este teve também sua produção realizada em cima da plataforma usada para a Ranger da segunda geração, entre os anos de 1983 e 1990.

A princípio, a ideia é traze-lo de volta se baseando na nova geração do Everest, o qual deriva da plataforma T6 da Ranger, porém, a montadora destacou que não teria nenhuma possibilidade dela ser exportada. 

FILIPE RIBEIRO DA SILVA


Versão básica do modelo chegará ao Brasil no próximo ano e custará cerca de R$ 76 mil.

Além da versão LTZ, o Chevrolet Tracker ganhará uma versão de entrada chamada LT, que chega ao Brasil em 2016. A LT é a versão básica do crossover Tracker, modelo que teve 9.568 unidades vendidas só em 2015.

Em questão de mecânica, não existem grandes mudanças. O motor utilizado é o 1.8 com 144 cavalos. O carro também tem transmissão automática de seis marchas. Os equipamentos é que fazem a diferença de R$ 5.600,00 entre as verões LTZ e LT. A versão de entrada contará com direção hidráulica, travas, retrovisores e vidros elétricos, ar-condicionado, faróis de neblina, rádio MP3 e rodas de 16 polegadas. Ela dispensa a central multimídia My Link, volante com comando de som, bancos revestidos em couro, piloto automático e rodas de 18 polegadas. Apesar da simplicidade do sistema multimídia instalado no Tracker LT, ele ainda mantém a conexão bluetooth.

O Tracker tem produção no México e é um dos principais competidores do Ecosport, especialmente agora que terá um modelo mais em conta. A Tracker LT terá preço sugerido de R$ 76.990,00, enquanto a versão topo de linha custará R$ 82.590,00.

Os veículos da linha Tracker serão oferecidos nas cores Prata Champagne, Branco Summit, Prata Switchblade, Cinza Cyber e Preto Ouro Negro, assim como uma novidade: o Roxo Plum Berry, que estará disponíveis nas versões 2016 para carroceria.

A intenção da marca com o lançamento da versão de entrada do Tracker é abocanhar uma maior fatia do mercado de SUVs compactos no Brasil, o que mais cresce nesse momento complicado da economia. Samuel Russell, diretor de marketing da Chevrolet, diz que a marca pretende atender uma crescente demanda do mercado por compactos mais em conta. Foi necessária essa redução de preço porque o mercado brasileiro conta com carros como o Jeep Renegade e o Honda HR-V, que possuem modelos com preço abaixo de R$ 80.000. 

Por Gizele Gavazzi


Nova versão terá câmbio manual de seis velocidades e custará cerca de R$ 83 mil.

A fabricante alemã de automóveis, a Volkswagen, anunciou na última segunda-feira, dia 30 de novembro de 2015, o lançamento da versão Comfortline do VW Golf Variant, por um preço de R$ 83.990.

O Volkswagen Golf Variant foi lançado no Brasil no mês de maio, porém, agora oferece a opção de câmbio manual de seis velocidades em sua versão de entrada, a Comfortline, e custa R$ 83.990,00. A versão que possui câmbio DSG automático de sete marchas e dupla embreagem sai por um preço de R$ 90.990. Já a versão mais top, a Highline, que utiliza apenas o câmbio DSG, tem seu valor inicial na faixa dos R$ 99.690. Desta forma o modelo possui ao todo três versões diferentes: a Comfortline (com seis marchas e câmbio manual), a Comfortline (com dupla embreagem DSG de sete velocidades e transmissão automática) e a Highline (também com dupla embreagem DSG de sete marchas).

Em todas as versões o motor continua sendo o mesmo, de 1.4 litros TSI, com injeção direta e turbocompressor, que possui 140 cavalos de potência entre 4.500 e 6 mil rpm, com torque de 25,5 kgfm, a partir 500 rotações por minuto.

O desempenho nos apresenta os mesmos números entre todas as versões, onde o carro tem uma aceleração de 0 a 100 km horários em 9,5 segundos e atinge uma velocidade máxima de 205 km por hora.

O conjunto de itens de série é o mesmo que consta na versão Comfortline, os quais trazem controles de estabilidade e tração, ar-condicionado, sete airbags, conjunto elétrico, start-stop, sensores de estacionamento na parte traseira e dianteira, assistente de partida em rampa, monitoramento de pressão dos pneus, retrovisores externos aquecidos, bloqueio de forma eletrônica do diferencial, além da tecnologia da central Composition Media com sistemas Car Play, Android Auto e Mirror Link, com uma tela no tamanho de 6,5 polegadas.

FILIPE RIBEIRO DA SILVA





CONTINUE NAVEGANDO: