Saiba como valorizar seu carro usado no momento de vendê-lo.

Quando chega o momento em que precisamos revender um carro, sempre surgem dúvidas sobre como podemos obter a melhor negociação possível sobre ele. E nesse sentido, todos já estão cansados de saber que o estado de conservação do automóvel influência sobre o seu preço de venda.

Porém, é importante salientar que somente esse fator não é o suficiente. Ainda são considerados fundamentais outros detalhes que farão a diferença na hora da avaliação e venda do carro.

Você quer saber como valorizar o seu usado na hora de efetivar uma revenda? Então, trazemos cinco dicas imperdíveis e que irão te ajudar muito nesse sentido. Confira já.

Documentação em dia

Pode parecer um tanto quanto óbvio, mas algumas pessoas ainda esquecem de quitar o IPVA, multas e o licenciamento e seguro obrigatório do veículo. Como se sabe, esses documentos são necessários para que se consiga vender um carro, já que a falta deles em dia pode passar uma imagem de desleixo por parte do motorista durante a avaliação.

Pesquise e tenha a certeza de que não há pendências e que os documentos estão regularizados com o Detran.

Limpeza e Acabamento

A aparência é ainda um dos fatores mais importantes, pois reflete os cuidados do dono. Porém, para alcançar o máximo possível em uma avaliação de venda, é preciso cuidar da limpeza geral do automóvel.

Por isso, o ideal é que se realizem todos os procedimentos estéticos de cristalização e de polimento do carro, com atenção especial para a parte interna. Com isso, tem-se uma melhora significativa em alguns arranhões ou na recuperação do brilho original da pintura.

Ressalta-se sobre a lavagem técnica do motor, já que avaliadores com certeza irão verificar sobre as condições da conservação desse detalhe. O melhor é sempre encontrá-lo limpo e com aparência de novo.

Priorize o original

Na hora de vender o seu carro, tenha em mente que muitos objetos personalizados acabam dificultando a aceitação do mesmo pelo público em geral. Sendo assim, quando iniciar o processo de negociação, elimine aqueles itens que você utilizou para customizar o veículo.

Isso é válido para os elementos estéticos como para as peças. E quando falamos em itens originais, incluímos também as chaves reservas e o manual do proprietário.

Porém, não desanime pelos itens que foram retirados. Saiba que o seu investimento ainda possui o seu valor. Verifique a viabilidade de utilizá-los quando for adquirir um novo carro, ou opte por vendê-los separadamente.

Reparos quando necessário

Faça reparos somente quando for necessário. Arranhões superficiais, por exemplo, são removidos em tratamentos de acabamento.

Portanto, não se arrisque a retocar uma pintura de forma a deixar marcas não uniformes no carro. Novamente se ressalta que, quando tratamos do visual, o original ainda se sobressai.

Pesquise sobre o valor da revenda

Um dos erros mais comuns é revender o carro sem que se tenha nenhuma noção do preço médio de mercado do carro. Por isso, para buscar informações nesse sentido, uma das principais fontes de dados para os preços de seminovos é a tabela FIPE.

Nela, há informações preciosas sobre cada modelo. Porém, ressalta-se que ela não pode ser a única base de pesquisa. Leve em conta alguns fatores, como é o caso da quilometragem do carro.

Outra dica é dar uma olhada em lojas de veículos usados, solicitando uma avaliação, ou ainda pesquisar em sites com anúncios parecidos com o seu. Com isso, pode-se ter uma ideia mais aproximada e segura sobre o valor real do automóvel.

Esperamos que essas dicas tenham te ajudado um pouco mais no caminho da sua negociação. E se você possui outra sugestão, conte para as outras pessoas nos comentários.

Por Kellen Kunz

Carros usados





CONTINUE NAVEGANDO: