Novo tipo de seguro é 30% mais barato que o convencional e será ofertado pela Azul.

O Seguro Auto Popular, uma espécie de seguro mais barato de veículos no Brasil, que foi regulamento em abril, está bastante próximo de virar realidade. Após algumas mudanças nas regras, é esperado que esta modalidade comece a ser oferecida ainda neste mês de dezembro, sendo que a Azul deve ser a primeira a oferecer o produto.

Um dos principais destaques do Seguro Auto Popular é o preço em conta: tal modalidade pode ser até 30% mais barata que a tradicional. Com a tendência de adesão em massa a tal seguro, outras empresas já se mostram interessadas na oferta de tal produto.

O preço menor desse seguro é resultado, em grande parte, da utilização de peças originadas de desmanches regularizados ou até mesmo as chamadas “peças genéricas”, que são feitas levando em consideração as mesmas especificações das originais. A exceção quanto a “peças genéricas” está justamente nos itens de segurança do automóvel.

Em relação ao Seguro Auto Popular oferecido pela Azul, saiba que o mesmo é destinado apenas aos veículos com, pelo menos, 5 anos. Esse é um pedido das seguradoras, haja vista as fabricantes oferecerem garantias para as principais peças do automóvel por até 5 anos.

Como já destacado, o Seguro Auto Popular teve mudanças nas regras recentemente. Com isso, a nova edição desta modalidade optou por aliviar os custos na parte dos consertos e peças de reposição, sendo que anteriormente eram retiradas as coberturas para baixar o preço do seguro.

Como destacado anteriormente nesta matéria, em contrapartida aos seguros tradicionais, nesta modalidade é permitido o conserto através de peças usadas ou recondicionadas, sendo que as mesmas devem ser obtidas através de empresas de desmontagem devidamente credenciadas por meio da lei 12.977.

Outra mudança importante nas regras do Seguro Auto Popular diz respeito à cobertura mínima que deverá ter indenização por danos causados ao veículo por colisão, sendo que os danos parciais também deverão ser incluídos no pacote. Dessa forma, pacotes com apenas a indenização estão vetados.

Além disso, da mesma forma que no modelo de 2005 do Seguro Auto Popular, também é possível escolher uma indenização por valor determinado. Portanto, o cliente pode optar por um número estipulado na hora do contrato. O cliente não fica restrito apenas a esta opção, pois a modalidade mais comum nos seguros normais, aquela que leva em consideração o valor de mercado, também estará disponível.

Por Bruno Henrique


General Motors encerra produção do Chevrolet Classic. Modelo será substituído pelo Prisma Joy.

A Chevrolet anunciou que a linha Classic vai sair de circulação no final de 2016. O carro, que já foi chamado de Corsa Sedan, ainda tem cerca de cinco mil unidades em estoque e, pelos números das vendas recentes do veículo, esse estoque será o suficiente para abastecer o mercado por ainda dois meses. A versão sem ar condicionado é vendida por R$ 32.670, enquanto a versão com ar condicionado está saindo por R$ 33.670.

A extinção do Classic coincide com o lançamento do Prisma Joy, novo veículo de entrada da Chevrolet no país. A General Motors fechou uma parceria com a montadora chinesa SAIC de mais de US$ 500 milhões para a produção de uma plataforma de baixo custo. O projeto, chamado GEM (Global Emerging Markets), tem como alvo os mercados emergentes globais da América Latina, Ásia, África e Oriente Médio, ele será o responsável por aposentar o Classic, o Onix, o Prisma, o Sail e o Sonic. A nova plataforma pretende lançar oito novos modelos de veículos, dos quais dois sedans, para substituir o Classic. Um dos objetivos é aumentar a produção nesses mercados. Hoje, o Chevrolet Classic tem uma produção anual de cerca de 50 mil unidades. Com os oito novos modelos, a General Motors esperar aumentar a produção para 1,8 milhão de unidades anuais, sendo 550 mil delas só na América Latina.

A tendência é que a Chevrolet se transforme numa fabricante de compactos premium, seguindo a linha da japonesa Honda e das francesas Peugeot e Citroen. De acordo com Jaime Ardila, ex-presidente da montadora na América do Sul, existe a possibilidade de que a GM não lance mais nenhum subcompacto de entrada e saia do mercado de entrada no Brasil, já que, segundo ele, o consumidor brasileiro tem preferido modelos mais conectados e bem equipados, como o Onix com MyLink, cita ele.

O Chevrolet Classic está há 21 anos no mercado brasileiro. Originalmente conhecido como Corsa Sedan, o carro passou a se chamar Corsa Classic em 2002 e ganhou o nome atual em 2003. Durante esses 21 anos, ele teve versões com motor 1.6 (até 2006) e 1.0. Em 2010, o veículo passou por uma reformulação grande, que trouxe mudanças significativas tanto na dianteira quanto na traseira do carro. O Classic é um dos veículos mais vendidos no Brasil, sendo o preferido das frotas de táxi.

Renato Senna Maia


Testes de Colisão revelam que modelo da Fiat possui melhor proteção lateral que o carro da Peugeot.

O LatinNCAP tem, a partir deste ano, critérios mais exigentes nos testes de colisão feitos em alguns países da América do Sul – isso inclui o Brasil.

A nova avaliação consiste no teste já existente, de colisão principal, que é o impacto frontal a 64 km/h e nos novos critérios, que trazem testes universais de colisão lateral, de colisão lateral contra poste e controle eletrônico de estabilidade instalado.

O teste universal de colisão lateral era feito de forma esporádica e agora é obrigatório. Os testes incluiram os bonecos de testes infantis no banco traseiro – até então estes bonecos eram inclusos apenas em testes de impacto frontal.

O teste de colisão lateral contra poste tem o veículo arremessado contra uma coluna, na velocidade de 29km/h. E o controle de estabilidade é uma avaliação para verificar se o sistema funciona satisfatoriamente.

Com o teste de impacto lateral mais rigoroso, o LatinNCAP divulgou uma das avaliações mais recentes, entre o Fiat Palio e o Peugeot 208. Curioso para saber quem levou a melhor?

Fiat Palio tem melhor proteção lateral que o Peugeot 208, mostra LatinNCAP

No comparativo dos testes entre o Peugeot 208 e o Fiat Palio, foi observada uma intrusão maior no 208, em sua cabine. Já o Palio possui barras de impacto lateral em suas portas, concluiu-se dessa forma que o Palio é desenvolvido para que proporcione mais proteção em impactos laterais.

O Equador é o único país que atualmente exige a proteção lateral, nenhum outro país da América Latina possui essa obrigatoriedade e ainda são poucos os países que exigem que a proteção lateral seja obrigatória a médio prazo. Há que se considerar a sua importância, já que esses impactos [laterais] são um alto risco para quem está no veículo.

Por que a comparação entre o Palio e o 208

A escolha pelo dois modelos foi devido ao fato deles pertencerem a um segmento bastante concorrido: o de hatches compactos. O 208 tem a seu favor o fato de ter uma plataforma global produzida aqui no país e o Palio já foi o carro mais vendido.

Posição do Latin NCAP

Foi feita por parte da LatinNCAP, uma solicitação para que os governos dos países latino-americanos providenciem, tão breve quanto possível, que as proteções (lateral e frontal) e o controle de estabilidade sejam obrigatórios.

Na Europa, a proteção contra impacto lateral já é obrigatória há mais de 20 anos, isso só vem reforçar a ideia de que os países da América Latina estão atrasados com relação a manter os passageiros de verículos um pouco mais seguros. De acordo com o LatinNCAP, esse é um “padrão mínimo de proteção”.

Elma de Fátima Morales Jacinto 


Pelas fotos da para avaliar todo o estilo e beleza do novo lançamento reestilizado do Onix.

A Chevrolet lançou na segunda-feira (25) a primeira reestilização do Onix, que deve estrear a linha 2017 ao lado da versão Activ, pronta para aventura. Em sua primeira versão o carro que mais vendeu no país teve seu lançamento em 2012 e agora retorna com visual totalmente repaginado.

Os faróis ficaram mais incorporados e ganharam assinatura em Led, já as duas grades receberam uma afinada. Esses extras também estão valendo para o Sedã Prisma, que ganhou mais um brinde, algo como um ‘aerofólio’ unido a tampa traseira.

A nova versão do Activ 2017 foi equipada com um “peito de aço” na parte debaixo do para-choque frontal. Ganhou pintura na cor preta na peça que rodeia os faróis de neblina, já as caixas de roda exibem moldura em plástico negro e barras compridas no teto. E se não bastasse tanta transformação, o modelo ganhou desenho exclusivo para as rodas.

Os modernos utilitários Onix e Prisma ganharam para-choque novo na traseira e na parte de fora da corroceria as lanternas foram discretamente puxadas para baixo, no canto externo. No seu interior receberam a Central MyLink de segunda geração e as portas ganharam um novo conjunto de puxadores. Sem falar dos tecidos da forração interna, pra lá de modernos, além de sistema de monitorização e concierge OnStar.

Os motores 1.0 e 1.4 receberam atenção redobrada, além de modificações para menor consumo, com pneus de baixa resistência a rolagem. As cinco marchas que eram manuais foram trocadas por uma de seis velocidades, cedendo lugar ao sistema elétrico. Tudo em prol do baixo consumo de gasolina.

A GM recebeu nota A no Programa Brasileiro de Etiquetagem, melhorando em 18% com o Onix e 22% com o Prisma. Os preços acompanham o mercado e podem ser encontrados a partir de R$ 53.690 o Sedã Prisma e o Onix a partir de R$ 44.890. Contudo, as mudanças trouxeram as versões com mais variedades, pode-se encontra-las nas versões LT, LTZ e Activ. Segundo informação em primeira mão da Carplace, a versão LS será trocada pela configuração básica do Onix mais antigo.

Não perca o lançamento da marca à imprensa no dia 5 de agosto.

Por Ruth Galvão


Confira aqui o preço e as principais novidades presentes no Novo Ford Edge.

Um pouco atrasado, mas finalmente o mercado brasileiro pode assistir o lançamento do novo Ford Edge. A segunda geração do Edge está vindo importado do Canadá em uma única versão topo da linha Titanium, com uma potência no motor de 3.5 V6 e o preço um pouco alto, mas tabelado, de R$ 229.900.

A primeira geração do crossover chegou ao Brasil em 2008 e no seu segundo lançamento em nova plataforma mostra maior quantidade de elementos do Fusion. Ele tem agora 8 airbags, um foi instalado no porta-luvas do carro, para proteção dos passageiros. Além disso, agora o carro possui cintos laterais na parte traseira infláveis, tornando-se o primeiro carro no Brasil a mostrar tal recurso.

O novo utilitário também destaca-se por apresentar tecnologias de auxílio ao condutor, a exemplo da câmera dianteira de 180 graus, do piloto automático (que é adaptado com alerta de colisão) e do sistema para permanecer na faixa (o condutor vai sentir a direção vibrar se o carro sair da faixa).

Mas não para por aí o prazer de rodar com essa máquina, agora dá para desfrutar a nova direção elétrica e dá para mudar a relação se houver necessidade, por conta do assistente dinâmico de direção. Para auxiliar, a direção conta ainda com controle de rolagem nas curvas, tração de 4WD (que controla a estabilidade) e motor V6 de 3.5. Além de todas essas tecnologias, o Edge possui chave que dá para programar e limitar algumas funções do carro (a exemplo do manobrista).

A Ford pensou em tudo para mimar seus clientes, até o porta-malas ganhou um item para facilitar quando estiver com as mãos ocupadas, basta passar o pé sob o para-choque traseiro que o porta-malas abre. A Ford equipou o possante com sistema de vaga automático, podendo funcionar em vagas paralelas e perpendiculares e ainda faz entrada e saída da vaga.

Os passageiros que estão no assento traseiro vão desfrutar dessas tecnologias com duas telas de DVD nos encostos de cabeça da frente, esse item é opcional por R$ 5.000. E se quiser mais modernidades o teto solar panorâmico é mais um opcional, por R$ 5.000.

Ruth Galvão de Andrade


Modelo tem inspiração na Range Rover Evoque e irá concorrer com Honda HR-V.

Para quem acompanha de perto as notícias do setor automobilístico no Brasil já deve ter percebido que a Nissan estava precisando de algo que fosse um pouco diferente para impulsionar as vendas da marca por aqui, além de tirar um pouco da ociosidade que a fábrica de Resende, no estado do Rio de Janeiro, se encontrava entregue já que por lá só estavam saindo o Versa e o March. Com isso em mente, a montadora resolveu apostar nos SUVs compactos. O motivo é mais do que óbvio: Em um período de cinco anos esse segmento saltou de 2% para 10% no mercado nacional. Para encarar essas dificuldades e se sair bem, a marca lançou em 2016 o Kicks.

Ao que parece a Nissan está depositando muitas fichas na novidade. De acordo com as informações divulgadas até agora, o propósito é que sejam importadas do México no mínimo 3.000 unidades por mês, sendo que o modelo será disponibilizado primeiro em nosso mercado.

Para 2017, no mais tardar até o mês de março, a produção nacional já deve ter começado.

O Kicks chama a atenção por diversos aspectos. Na parte da frente vamos encontrar a grade cromada em formato V, uma “assinatura” em LED e faróis bastante avantajados.

O desenho do carro parece ter tido inspirações vindas de modelos já consagrados. Um bom exemplo é a coluna traseira, que conta com detalhes que remetem ao Range Rover Evoque, que digamos de passagem, caiu no gosto dos consumidores no mundo inteiro.

E já que estamos falando de “aparências”, outra coincidência (ou não) é a distância entre-eixos de 2,61m, que é a mesma do Honda HR-V. A largura e altura também são bastante semelhantes ao crossover da Honda. Isso por si só deixa claro quem é o principal alvo da marca com o Kicks. Já a arquitetura do carro é a mesma reforçada presente no Versa.

O interior do Kicks traz uma pitada de ousadia e modernidade. Temos uma tela multimídia de 7 polegadas, que conta com um quadro de instrumentos totalmente digital com 12 opções de configurações. Esse detalhe é exclusividade do segmento.

Entre os recursos eletrônicos que merecem destaque temos um sistema de visão em 360 graus. Isso só é possível graças ao uso de quatro câmeras: duas embaixo dos retrovisores externos, a frontal e a traseira. Além delas ainda há o sensor traseiro de obstáculos.

O preço da versão completa do modelo fica em R$ 89.990. E a briga já começa por aí. O valor é cerca de 10% mais baixo do que o HR-V topo de linha.

Por Denisson Soares


Problemas no Carro podem ser causados por Animais Pequenos. Confira aqui algumas dicas de como evitar.

Imagine que você tenha um modelo de carro relativamente antigo. A tendência mais lógica é que quanto mais velho ele for mais os problemas deverão aparecer. A questão é que nem sempre é um problema técnico e pode ter relação com causas que nem sequer pensamos. Um bom exemplo é ter a fiação do automóvel roída por ratos. Difícil de acontecer? Não. Problemas no carro que são causados por pequenos animais são mais comuns do que se imagina.

Até parece brincadeira, mas tanto ratos quanto gatos estão de acordo quando o assunto é o carro. Ambos adoram o ambiente. O motivo é bem simples, os felinos, por exemplo, gostam de se abrigar em locais quentes e por isso na maior parte das vezes se embrenham pelo compartimento do motor. Caso o motorista não perceba nada antes de virar a chave do carro ele pode acabar matando o animal devido ao movimento da correia.

Já os ratos habitualmente sempre estão em busca de um local para se esconderem. Os carros não são exceção para eles. Ratos podem ser atraídos pelos mais variados aspectos. Talvez o carro tenha fica parado por muito tempo ou alguém deixou algum resto de alimento por perto e etc.

Quando pesquisamos um pouco sobre o assunto, principalmente considerando as empresas de higienização de carros, vamos encontrar os casos mais estranhos possíveis como, por exemplo, um rato morto no duto ventilação. Daí já imaginou o trabalho. Primeiro para achar o rato conforme o caso será necessário desmontar alguma coisa. Outro ponto péssimo é que cheiros impregnam facilmente em carros. O de animais mortos pior ainda, sem contar os casos em que mesmo depois de uma limpeza pesada o odor ruim ainda permanece.

De qualquer forma, é bom ficar atento a alguns pontos tanto pela proteção do veículo, do condutor e até do animal que por acaso possa estar escondido no carro.

Confira algumas dicas para ficar de olho:

– Cuidado com a ração de animais: Manter a ração de animais domésticos sempre fechada e não deixar nada como sobra onde ela é servida já é um começo. Imagine que você costuma alimentar seu cão em sua garagem, se sobrou algo na vasilha de alimentação a probabilidade dos restos atraírem ratos é grande.

– Atenção as luzes do painel: Se notar que há sinais apontando falhas nos freios e ABS e até no airbag, é bom dar uma conferida uma vez que isso pode indicar que algum tubo flexível ou fio foi danificado.

– Cuidado com animais domésticos dentro dos carros: Esse é um alerta principalmente para quem possui cães pequenos, por exemplo. Por natureza eles gostam de sair por aí mordendo coisas, em um simples descuido podem acabar mordendo os fios do sensor de presença que ficam embaixo dos bancos da frente.

– Limpeza: Sempre verifique se ninguém deixou nada dentro do carro que possa atrair insetos ou pequenos animais. Em especial as crianças que volta e meia deixam algo cair nos bancos ou no piso.

Por Denisson Soares


Renault Alaskan é apresentada na Colômbia mas deve chegar ao Brasil apenas em 2018.

Não é de hoje que a Renault vem se destacando com a produção de novos modelos em um mercado extremamente competitivo. Pois nessa quinta-feira, dia 30 de junho, a montadora mostrou seu mais novo lançamento na Colômbia, a Alaskan. Na versão final de picape média, o Brasil somente receberá o modelo em 2018, logo que a mesma chegar na Argentina, em Córdoba, para início da produção.

Porém, quem não quer esperar para ver o carro de perto, pode ir até o Salão do Automóvel de São Paulo, que acontecerá no mês de novembro. A agenda de comercialização da picape iniciará na Colômbia, ainda em 2016, passando pela Argentina em 2017.

Com valor competitivo, de acordo com a montadora e o vice-presidente sênior da Renault para as Américas, Olivier Murguet, o preço do Alaskan não foi divulgado para a imprensa, porém, este será atrativo se comparado aos dos maiores rivais na categoria, a Chevrolet S10, o Ford Ranger, a Toyota Hilux, entre outras. Conforme Murguet, a Renault não possui a arrogância de entrar num segmento como este e vender o seu produto com preço ainda maior que os concorrentes.

Sendo assim, em relação aos motores do veículo, estes serão comercializados em duas versões a diesel: na 2.3 com 160 cv e 190 cv, além da 2.5 com 160 cv e 190 cv. A picape ainda possui um modelo 2.5 a gasolina, de 160 cv.

Para o Brasil, será vendido o motor 2.3, com câmbios automático ou manual e tração 4×2 ou 4×4. Além disso, a montadora Renault já adiantou que colocará a disposição também versões em cabine simples e dupla. As medidas da picape não foram divulgadas, mas sabe-se que a distância do solo será de 23 centímetros, com suspensão do tipo multilink de cinco braços, além de assistente de partida e descida em rampa.

Complementando, haverá câmeras 360º, sistema de chave inteligente e partida pressionando um botão, além de ar condicionado de duas zonas, conectividade e muito conforto para até cinco pessoas.

Ao que tudo indica a aposta irá atrair muitos olhares, sendo que a Alaskan entra no portfólio da empresa como a segunda picape da marca Renault, sendo a primeira a Duster Oroch, que foi lançada no fim de 2015 no país. Com visual autêntico, levando em conta a identidade da montadora, resta esperar pelo modelo que, de acordo com a Renault, precisa deste tempo para amadurecer o projeto.

Kellen Kunz


Nesta matéria você vai encontrar tudo sobre as cinco versões do modelo que se encontram disponíveis no mercado brasileiro.

A Fenabrave divulgou a lista dos carros campeões de vendas no mês de maio deste ano e o grande vencedor, o Onix, está disponível em 5 (cinco) versões nos motores 1.0 e 1.4.

Com o motor 1.0 temos 2 (duas) versões disponíveis, a LS e a LT. Conforme as especificações mencionadas no site da fabricante, a versão LS não tem disponível 3 (três) itens de segurança de série, o Alarme antifurto, a Alça dianteira de teto e as Alças traseiras de teto.

Na parte do design o LT tem uma aparência diferente em relação ao LS, como a grade frontal com detalhes cromados, maçanetas pintadas da cor do carro e o volante com detalhes cinza. O LS tem painel central pintado na cor "Dark Ash Grey", coisa que o LT não tem. Uma característica que essas duas versões não tem em relação as outras 3 (três) é o painel de portas com tecido.

Na parte de conforto e conveniência das duas versões 1.0, o LT abre o porta malas por controle remoto, a chave é tipo canivete dobrável, tem luz de cortesia no porta-luvas, sistema de luz "leve-me" e "siga-me", travas elétricas nas portas e tampa de combustível e tem vidro elétrico como item de série.

As funções de rádio e telefone no volante não estão disponíveis na versão LS e é opcional na versão LT. Finalizando as diferenças entre eles, encontramos o sistema de som. No LS não está disponível a antena de teto, o conjunto de 4 (quatro) auto-falantes e o sistema multimídia e a provisão para instalação de rádio é item de série. Na versão LT, todos estes itens de som são opcionais.

Nos motores 1.4 temos as versões LT, LTZ e Effect, onde na parte de segurança, a única coisa diferente são os faróis de neblina, que não estão presentes na versão LT. Na parte de design só a versão Effect tem adesivos decorativos no capô, laterais e traseira, a grade frontal do radiador tem a cor e contornos em preto, "máscara negra" nos faróis e mais uma séries de itens que o LT  e o LTZ não tem. Diversas diferenças na aparência podem ser observadas nestas três versões. Computador de Bordo não está disponível na versão LT e é de série nas outras duas, já o controlador de velocidade de cruzeiro com comandos no volante não está disponível na versão Effect e é opcional na LT e LTZ.

Os motores de todas as versões aceitam Gasolina e Etanol e, além do preço, tem uma séries de itens diferentes entre eles que devem ser analisadas pelo futuro comprador.

Por: Fernando Dias


4ª Geração do Carro Híbrido chegará ao país custando R$ 119 mil.

A Toyota vai lançar no mercado brasileiro nesta quarta, dia 08 de junho, o novo Prius. O objetivo da montadora é fazer com que o conceito de automóvel híbrido seja “abraçado” pelos consumidores. Desta maneira, a Toyota tentou manter o custo do veículo muito próximo do que era praticado, sendo que a versão única ficará no preço de R$ 119.950. Isso vai de encontro com que foi realizado com o SW4 e a Hilux, que tiveram aumento significativo dos preços.

O novo Prius vai chegar com sete opções de cores na venda, sendo elas: preto, branco, cinza, prata, azul e o vermelho.

Os itens de série

O carro contará com rodas de liga leve com aro 15, sete airbags, alarme, controle de estabilidade e tração, faróis de neblina e lanternas em LED, portas que destravam através de sensor de proximidade da chave, bancos em couro sintético, volante multifuncional em couro, tela touchscreen de 7 polegadas, TV Digital, GPS, câmera de ré, conexão para bluetooth e cabo USB, rádio, CD, carregador para celulares, entre outros.

Ecologicamente correto

Esse é o grande objetivo do novo Prius e tenta conseguir êxito com o seu motor 1.8 movido a gasolina. O propulsor é de ciclo Atkinson e apresenta um comando variável de válvulas. O conjunto foi recalibrado para que se tornasse ligeiramente menos forte. A sua configuração fica com 98 cavalos de potência com 5.600 rpm e 14,2 kgfm de torque com 3.600 rotações por minuto.

O bloco vai trabalhar ao lado de um motor elétrico com potência de 72 cavalos e torque de 16,6 kgfm. Com isso, a potência fica num total de 123 cavalos. A Toyota aponta que o consumo ficará 20% melhor em comparação com a versão anterior. De acordo com o Inmetro em seu Programa de Etiquetagem, o Prius se encontra na primeira colocação com média de consumo que fica de 18,9 km/l na cidade e 17 km/l na estrada.

O modelo vai chegar com uma transmissão CVT, mas ainda com a manopla no formato de controle de videogames e os freios que também continuam regenerativos.

Tecnologia

O Prius apresenta o seu computador de bordo com um display de 4,2 polegadas. Nele, o motorista conseguirá fazer ajustes, como o modo Eco Wallet, por exemplo, onde você vai conseguir observar o tempo de uso no modo totalmente elétrico e a economia de combustível que ocorreu com a ajuda da bateria feita de níquel.

O veículo, em um primeiro momento, terá a sua importação do Japão, mas há uma chance mínima que ele seja nacionalizado no ano de 2018. 


Modelo deve retornar ao país todo repaginado. Previsão é que o modelo seja apresentado ainda este mês em um Festival no Reino Unido.

Um novo carro, porém, que já esteve no mercado há alguns aos atrás está de volta. Certamente, os leitores e conhecedores mais assíduos de automotores identificarão o carro apenas pelas características iniciais que citaremos.

Primeiramente, cabe ressaltar que falaremos de um carinho que, quando foi lançado em anos anteriores, era quadrado, não possuía muita potência, seu nome era hilário e agradava há poucas pessoas com seu estilo mais, digamos, antiquado. Ah!, além disso, esse carrinho que citamos era fabricado pela Renault Motors.

Pois bem, para aqueles que pensaram no Twingo, acertaram de forma brilhante. Meus caros, ele está de volta e agora veio com tudo.

Com o visual totalmente modificado, nada lembra aquele Twingo antigo e quadrado. Diga-se de passagem, o Novo Twingo muito lembra o Fiat 500.

Algo que muito chama atenção nessa nova versão do carro da Renault é o seu motor 0.9. Isso mesmo, 0.9, meus amigos. Apesar de teoricamente ser inferior ao carro 1.0, esse motor gera 110 cv de potência máxima, o que chega a ser surpreendente. Porém, é importante destacar que a versão com 110 cv será a “RS”, uma versão mais esportiva do modelo. O carro normal conta com potência de 90 cv, o que haja vista as pequenas proporções do veículo, tende a atender às necessidades de utilização do motor. Além de uma potência um pouco mais avantajada, a versão esportiva conta com tração traseira, fato que não é muito comum.

Apesar de suas pequenas dimensões, o carrinho da Renault, na versão RS, conta com rodas de liga leve aro 17, canos de descarga em dose dupla, além de uma faixa preta que passa todo o teto do carro, que pode ser encontrado nas cores branco, cinza, preto e laranja.

Creio que os leitores e os apaixonados pelo veículo da montadora francesa já ficaram ansiosos para saber quando o Renault Twingo em suas mais diversas versões chega ao mercado brasileiro. Segundo informações, o modelo deve ser apresentado no final deste mês em um Festival no Reino Unido.

Até lá, devemos aguardar pelos anúncios de fotos da parte interna do veículo, haja vista a Renault não ter disponibilizado essas imagens em sua chamada de lançamento.

RAQUEL ALICE MOREIRA


Modelo é idêntico ao Trendline de 4 portas e custará a partir de R$ 33 mil.

Não é novidade para nenhum consumidor brasileiro a afirmativa de que o Gol é um dos modelos de maior sucesso da Volkswagen por aqui e que ano após ano o veículo consegue ter um excelente desempenho frente aos seus principais concorrentes do mercado nacional. É nessa perspectiva que a Volkswagen mais uma vez apresenta mais uma nova configuração na versão de entrada do Gol, a qual agora passará a contar também com a carroceria com duas portas. Essa nova versão do veículo foi baseada configuração Trendline, sendo que neste primeiro momento essa variante do modelo chegará ao mercado com preço sugerido em R$ 33.620, valor este que representa uma redução de R$ 1.930 em relação a versão do veículo que contém a carroceria com quatro portas.

Incialmente este novo modelo sairá de fábrica com a lista de equipamentos de série idêntica aos da versão Trendline com quatro portas, ou seja, o veículo será disponibilizado com a presença de vidros e travas elétricas, direção hidráulica, airbags dianteiros, alerta de não colocação do cinto de segurança para o condutor, desembaçador do vidro traseiro, limpador e lavador do vidro traseiro, freios ABS com tecnologia antitravamento, banco do condutor com ajuste de altura, faróis escurecidos e rodas confeccionadas em aço tamanho aro 14.

Essa nova versão do Gol chegará ao mercado com um propulsor de três cilindros, o qual é capaz de produzir uma potência máxima de até 82 cavalos quando abastecido com etanol, conjunto mecânico este que trabalha em conjunto com uma transmissão manual de cinco velocidades. Os opcionais que serão ofertados pela fabricante junto com essa nova versão do Gol Tredline de duas portas serão ar condicionado pelo valor de R$ 2.840, bem como os rádios e as centrais multimídias que terão valores variando entre R$ 850 e R$ 1.780.

O certo é que esta nova versão do Gol com carroceria contendo duas portas deverá aumentar as vendas do modelo, haja vista que muitas empresas de serviços, locadoras de veículos e alguns outros ramos, tem uma preferência muito grande por este tipo de veículo, principalmente por ter uma vasta opção de mão de obra para fazer a manutenção dos veículos em todo território nacional, bem como pelo baixo custo das peças de reposição em comparação aos principais concorrentes.

Por Adriano Oliveira


Nos últimos anos o mercado envolvendo carros elétricos tem ganhado cada vez mais destaque ao redor do mundo, com isso alguns países tem investido no setor (infraestrutura) mais do que outros. Recentemente a Nissan resolveu fazer uma pesquisa sobre o tema. De acordo com os dados levantados, no Japão, atualmente há mais pontos direcionados para a recarga de veículos elétricos do que postos de combustíveis tradicionais.

Segundo as informações apresentadas a diferença percebida chega a 6 mil pontos de abastecimento. Os postos de gasolina contam com 34 mil unidades enquanto que o número dos pontos para recarga elétrica já chegaram a marca de 40 mil. Mesmo figurando como a terceira maior economia do mundo, o Japão já ultrapassou os americanos.

Nos Estados Unidos existem cerca de 9 mil pontos de recarga elétrica distribuídos pelo país. Os postos de gasolina contabilizam 114,5 mil pontos.

Apesar de muitos aspectos serem muito evidentes alguns analistas questionam o resultado da pesquisa feita pela Nissan. Isso porque foram considerados tanto os carregadores públicos quanto os particulares.

Além disso, temos o fato de que mesmo que os pontos de recarga elétrica estejam em maior número os postos de combustível continuam sendo os responsáveis por abastecer a grande maioria dos carros no Japão.

Seja qual for a perspectiva o fato é que os números deixam claro que as pessoas estão tendo um interesse cada vez mais crescente em carros não poluentes e mais econômicos.

Ainda sobre a pesquisa outro aspecto também foi percebido: A relação e diferença de investimentos dos países. O Brasil, por exemplo, ainda não possui uma infraestrutura adequada e tão pouco suficiente para seguir a tendência mundial.

Os projetos envolvendo modelos de carros elétricos há muito deixaram de ser especulação. Hoje em dia, as principais montadoras e outras que ingressaram no setor para aproveitar o segmento têm apresentado “produtos” cada vez mais eficientes.

Mesmo sendo algo muito promissor e que possivelmente contribuirá tanto para o meio ambiente quanto para a economia do consumidor a questão ainda se depara com o fato de que a gama de regiões onde não há investimento para a implantação da tecnologia é bem maior.

Contudo, espera-se que com o tempo e a popularização da tecnologia mais gente “embarque” nela.

Por Denisson Soares


Modelo chegará primeiro na Europa mas deverá ser lançado no Brasil para concorrer com o Novo Honda Civic.

A Toyota anda mesmo atenta com o “passo a passo” da concorrência. Na segunda metade deste ano, a décima geração do Honda Civic deve dar as caras em terras nacionais, como já foi anunciado pela fabricante. A Toyota, por sua vez, para não ficar para trás, já começou a trabalhar no Corolla. A montadora resolveu alterar a parte da frente nos modelos comercializados na Europa e também nos Estados Unidos. A expectativa é que essa modificação não demore a chegar ao Brasil.

Essas mudanças para o Corolla 2017 foram apresentadas primeiro no Corolla europeu. Vale lembrar que antes da alteração essa versão era igual ao modelo vendido aqui. Com a reestilização o carro agora tem novos faróis, lanternas com luzes de led, ligeiras modificações na grade e novas rodas e maçanetas.

A lista de itens de segurança oferecida junto com o modelo também recebeu um pequeno acréscimo. Nessa parte entram a frenagem automática para risco de colisão, comutação automática entre fachos alto e baixo, alerta para saída da faixa e leitura de placas da via.

A versão desenhada para os consumidores norte americanos conta com uma grade mais ampla e com os faróis relativamente menores que os mostrados no Corolla 2017 europeu. Curiosamente quem conhece o Toyota Prius e o Mirai pode encontrar algumas semelhanças entre estes modelos e aquele. O carro tem também leds para luz diurna nas extremidades de seu para-choque. Essa “característica” já vem sendo usada no mercado por outra concorrente: a Volkswagen.

Indo para os itens de série, bem como os opcionais, vamos encontrar para a versão americana o sistema Safety Sense-P, que agrega o controlador de distância à frente, assistente de farol alto, frenagem automática e alerta para faixa.

Para o mercado americano a Toyota ainda tem outra novidade. Para dar início as comemorações por lá dos seus 50 anos, a montadora anunciou que irá lançar a série especial 50th Anniversary Edition. A produção será limitada a um número máximo de oito mil unidades. Entre os principais diferenciais dessa série de aniversário estão as rodas aro 17, os bancos de couro e o teto solar.

Até o momento a Toyota não informou com mais detalhes quando as novidades chegarão ao mercado brasileiro. Mas considerando o andamento das coisas, estima-se que isso também ocorra no segundo semestre de 2016.

Por Denisson Soares


Montadora deve voltar a produzir modelos para retomar parte do mercado.

A famosa montadora Ford estaria prestes a ressuscitar a picape Ranger e o Ford Bronco no mercado americano.

A Ford se comprometeu em investir 9 bilhões de dólares em suas fábricas nos EUA, desta forma gerando 8.500 postos de trabalho.

A Ranger foi um modelo de grande sucesso no país americano e com isso a montadora pretende voltar a fabricar e consequentemente lançar o veículo no mercado. O carro seria montado em Wayne, Michigan, atualmente nesta fabrica são desenvolvidos o Ford Focus e C-Max, os quais iriam ser produzidos no México.

A Ford parou de produzir a antiga Ranger no ano de 2011 e fez um anúncio que a nova geração não chegaria ao país. Desta forma abriu mercado para suas concorrentes como o Chevrolet Colorado, o GMC Canyon e a S10, foi aí que a Ford começou a repensar sobre seus modelos.

Hoje em dia, a Ranger é o modelo mais universal da marca e é vendida em 200 países, mas não nos Estados Unidos, onde é o maior mercado de picapes do mundo. Para ter uma noção, era previsto que as vendas de picapes médias atingisse 360 mil, somente no ano passado.

Além disso, a picape Ranger traz também a possibilidade do retorno de um outro veículo, o famoso SUV Bronco. Um off road de muito sucesso no país norte americano entre os anos de 1980 e 1990. O Bronco foi fabricado até o ano de 1996 e teve uma releitura no ano de 2004, apresentado no Salão de Detroit. Este teve também sua produção realizada em cima da plataforma usada para a Ranger da segunda geração, entre os anos de 1983 e 1990.

A princípio, a ideia é traze-lo de volta se baseando na nova geração do Everest, o qual deriva da plataforma T6 da Ranger, porém, a montadora destacou que não teria nenhuma possibilidade dela ser exportada. 

FILIPE RIBEIRO DA SILVA


Montadora anuncia a produção do carro em Sorocaba (SP). Objetivo da empresa é potencializar a eficiência e aumentar a competitividade da Touota no cenário nacional.

Apesar de o cenário econômico nacional não estar favorável para aquisição de veículos automotores e várias fabricantes estarem sendo assoladas pela crise, alguns modelos nem mesmo no momento de crise deixam de ser uma preferência nacional.

É neste contexto que a Toyota comemora o sucesso do fenomenal Toyota Corolla, tendo em vista que só no mês de novembro a fabricante japonesa conseguiu comercializar nada mais nada menos que 5.694 unidades, números estes que fizeram com que a empresa garantisse praticamente 50% de participação no segmento com total superioridade sobre os seus oito rivais mais próximos. Essa é uma conquista que deve ser sim muito comemorada pela Toyota, porque no mês de novembro em comparação com o ano de 2014 houve uma redução de 32,33% no comércio de veículos.

E para manter essa história de sucesso, a Toyota correu e fez divulgação de uma novidade para o ano de 2016, a fim de conquistar índices ainda melhores. A novidade mencionada acima será o início da produção do Corolla na unidade da Toyota localizada na cidade de Sorocaba (SP).

Para executar esse projeto a empresa já divulgou que realizou um investimento na casa dos R$ 30 milhões, sendo que nesse projeto há previsão de que a produção do Corolla seja compartilhada entre as unidades da empresa das cidades de Sorocaba e Indaiatuba, ambas localizadas no interior do estado de São Paulo.

O principal objetivo da fabricante em descentralizar a produção do Corolla é o de potencializar a eficiência, a flexibilidade e a competitividade da empresa no cenário nacional, sendo que estas operações irão ser inicializadas no final do ano de 2016, mas a Toyota garante que mesmo com a descentralização da fabricação do veículo os altos padrões de qualidade serão mantidos.

Para inaugurar essa nova sede na cidade de Sorocaba, no mês de agosto do ano de 2012 a Toyota teve que fazer um investimento de US$ 600 milhões, atualmente só esta unidade possui a capacidade de produzir 70.000 veículos por ano, mas antes dessa decisão da fabricante apenas o Toyota Etios na versão hatch possuia produção nessa unidade.

Por Adriano Oliveira


Nova versão terá câmbio manual de seis velocidades e custará cerca de R$ 83 mil.

A fabricante alemã de automóveis, a Volkswagen, anunciou na última segunda-feira, dia 30 de novembro de 2015, o lançamento da versão Comfortline do VW Golf Variant, por um preço de R$ 83.990.

O Volkswagen Golf Variant foi lançado no Brasil no mês de maio, porém, agora oferece a opção de câmbio manual de seis velocidades em sua versão de entrada, a Comfortline, e custa R$ 83.990,00. A versão que possui câmbio DSG automático de sete marchas e dupla embreagem sai por um preço de R$ 90.990. Já a versão mais top, a Highline, que utiliza apenas o câmbio DSG, tem seu valor inicial na faixa dos R$ 99.690. Desta forma o modelo possui ao todo três versões diferentes: a Comfortline (com seis marchas e câmbio manual), a Comfortline (com dupla embreagem DSG de sete velocidades e transmissão automática) e a Highline (também com dupla embreagem DSG de sete marchas).

Em todas as versões o motor continua sendo o mesmo, de 1.4 litros TSI, com injeção direta e turbocompressor, que possui 140 cavalos de potência entre 4.500 e 6 mil rpm, com torque de 25,5 kgfm, a partir 500 rotações por minuto.

O desempenho nos apresenta os mesmos números entre todas as versões, onde o carro tem uma aceleração de 0 a 100 km horários em 9,5 segundos e atinge uma velocidade máxima de 205 km por hora.

O conjunto de itens de série é o mesmo que consta na versão Comfortline, os quais trazem controles de estabilidade e tração, ar-condicionado, sete airbags, conjunto elétrico, start-stop, sensores de estacionamento na parte traseira e dianteira, assistente de partida em rampa, monitoramento de pressão dos pneus, retrovisores externos aquecidos, bloqueio de forma eletrônica do diferencial, além da tecnologia da central Composition Media com sistemas Car Play, Android Auto e Mirror Link, com uma tela no tamanho de 6,5 polegadas.

FILIPE RIBEIRO DA SILVA





CONTINUE NAVEGANDO: