Conheça os tipos de carros harches, sedans, cupês, SUVs, Crossovers e minivans.

Na hora de comprar ou trocar o seu carro, fatores como o modelo, a cor e o tipo mais adequado são os que primeiro vêm à mente, não é mesmo? Todavia, pensar na segurança, no conforto e na economia que esse veículo irá te proporcionar também são pensamentos que devem influenciar a sua escolha. Sem contar que o estilo do carro deverá refletir quem você é.

No caso dos modelos de carros hatches, o que se prima é pela economia da categoria. Com dois volumes, subdivididos na parte dianteira em que se aloca o motor e a cabine em que ficam seus passageiros e o porta-malas. Para pessoas que gostam de liberdade e que usam o carro de maneira urbana e constante, os hatches são a opção ideal. Como é o caso do modelo Ônix, que se inclui nesse grupo.

Os carros sedans são aqueles com três compartimentos, ou seja, a parte em que está o motor, a cabine dos passageiros e a parte traseira dedicada ao porta-malas. Mais espaçoso e mais potente do que o hatch, o sedan pode ser compacto, médio ou grande. Assim, para os que gostam de velocidade e conforto no seu cotidiano, o carro do tipo sedan é o mais indicado, como é o casso do sedan Classic da Chevrolet.

O modelo cupê não deixa de ser um tipo de sedan, todavia, é bem mais esportivo, tem dois lugares, seu teto é mais rebaixado e o seu porta-malas é mais curto. Para quem é estiloso e diferenciado e quer ver isso refletido em seu carro, mas também prima por alta performance e segurança, esse modelo o representa muito bem. A sugestão para esse carro é o Camaro da Chevrolet.

O “sport utility vehicle” – SUV em inglês, que em bom português significa “veículo utilitário esportivo”, se parece com uma camionete com suas trações nas quatro rodas, robustez e bom desempenho em diferentes tipos de solo. Por dentro, parece-se mais com os carros mais tradicionais. Para famílias aventureiras, mas que não abrem mão da segurança e do conforto, o Trailblazer é indicado como um dos modelos SUV da Chevrolet.

Os carros da categoria Crossover são aqueles que contêm a base da carroceria de um carro de passeio, com características de um SUV, com espaço interno diferenciado, altura e tamanho dos pneus também diferenciados. Para a cidade e para o campo, para os aventureiros, o Chevrolet Captiva é uma ótima sugestão de compra de seu crossover.

Evoluindo das vans, kombis ou “peruas”, as minivans são mais espaçosas e mais altas do que os modelos hatches e sedans, mas menores do que as vans tradicionais. Confortáveis, são adequadas para quem tem muitos amigos ou família muito grande e está sempre com eles. O Spin da Chevrolet, por exemplo, leva até sete passageiros.

Por Flávia Alves Figueirêdo Souza

Chevrolet Onix

Chevrolet Classic

Chevrolet Camaro

Chevrolet Trailblazer

Chevrolet Captiva

Chevrolet Spin

Fotos: Divulgação


Percentual de queda nas vendas registrado em 2015 não era alcançado desde o ano de 2007.

Desde o ano de 2013 a venda de carros novos está em declínio, e no ano de 2015 a queda nas vendas chegou a 26,5%. Tal percentual não era alcançado desde o ano de 2007.

Nesse levantamento está incluída a venda de carros, caminhões e ônibus zero km. A venda de motos não está contabilizada nesse percentual.

Em 2013 ocorreram 3.497.810 emplacamentos, em 2014 houve um queda de 7,15% sobre esse total e em 2015 novamente houve queda de 26,55% em relação ao número de emplacamentos do ano de 2014.

No ano de 2015 foram emplacados 2.569.014 veículos, sendo que entre os anos de 2009 e 2014 o total de emplacamentos não esteve abaixo de 3.000.000. O ano com o maior número de emplacamentos foi em 2012, quando se alcançou o ápice de 3.801.808 veículos emplacados.

Fatores como a crise política, o aumento do número de desempregados, a baixa do PIB e a alta do dólar foram os principais motivos para tamanha queda de vendas em 2015.

Em decorrência do declínio de vendas do setor, acarretaram no corte de 32 mil empregos e 1.047 concessionárias.

O setor de ônibus e caminhões foram o que mais sofreram impacto no ano de 2015. As vendas de ônibus caíram 36,5% totalizando 20.323 unidades, as vendas de caminhões diminuíram quase que pela metade com 71.787 unidades, representando uma queda de 47,6%.

O setor de motos foi o que menos sofreu impacto com queda de 11%, caindo de 1.429.929 unidades em 2014 para 1.273.250 unidades para 2015.

A perspectiva para 2016 não é das melhores, segundo a Fenabrave deve ocorrer nova queda, agora de 5,9% para o setor de automóveis. Para caminhões e ônibus, a expectativa da Fenabrave é queda de 2,8% para 2016.

Ainda não foram divulgados os indicadores de vendas de carros usados, mas o presidente da Fenabrave já adianta que houve crescimento no segundo semestre de 2015.                        

Por Jean Fretta Pereira

Vendas de carros

Foto: Divulgação


O modelo Celer começará a ser exportado para os países vizinhos em 2016.

A Chery Automobile, empresa chinesa de fabricação de automóveis, deverá iniciar suas exportações a partir de 2016 em países vizinhos do modelo Celer, o qual está sendo montado em Jacareí, cidade do interior de São Paulo, onde está instalada a sede da fábrica da empresa no Brasil.

A empresa iniciou suas atividades no Brasil no ano de 2009, e instalou seu primeiro escritório na cidade de Salto, interior de São Paulo, onde funciona todas as aplicações administrativas da empresa no momento. No mês de abril do ano de 2014, a Chery realizou a inauguração de sua primeira indústria fora da China, em Jacareí, interior de São Paulo. A empresa chinesa já fez seu primeiro fornecedor na Argentina, e agora pretende negociar com importadores interessados em outros países da América Latina como o Uruguai, a Colômbia e o Peru.

A Chery Brasil pretende nessa primeira oportunidade exportar mais de um milhão de unidades do modelo Celer, e se a premissa for boa, este número tenderá a aumentar proporcionalmente de acordo com as montagens, que se iniciam em 2016, e isso cabe a outros modelos também, como o QQ e o Tiggo 5.

O vice-presidente da empresa, Luis Curi, disse recentemente em entrevista que a produção de carros em 2015 foi equivalente a cinco mil unidades e que no ano de 2016 este número deverá ser aumentado para 8 ou 10 mil unidades fabricadas, as quais deverão estar devidamente prontas para a exportação. Ainda em relação ao número de unidades fabricadas, o vice-presidente ainda relatou que as negociações já se encontram em estágio avançado, e que há a intenção de instalar uma espécie de parque de fornecedores nas imediações da fábrica, o qual será um conglomerado com 25 empresas no total, sendo elas todas chinesas, e fornecerão peças e acessórios em forma de abastecimento para a indústria da Chery Brasil.

Por Daniela Almeida da Silva

Chery Celer 2016

Foto: Divulgação





CONTINUE NAVEGANDO: