Uso do cinto de segurança nem sempre foi obrigatório



  

Item de segurança começou a ser usado somente em 1958, mas como item opcional.

Assim como é difícil pensar em motociclistas e seus passageiros sob duas rodas sem o uso do capacete, é também estranho visualizar algum momento em que os cintos de segurança, hoje itens indispensáveis e obrigatórios para todos que se encontram dentro do veículo não foram usados ou seu uso era opcional.

Mas, foi somente no ano de 1949 que a empresa americana Nash passou a oferecer cintos de segurança como itens opcionais de série em seus veículos. Em 1955, a empresa Ford oferece aquele equipamento como opcional de fábrica, bem como em 1956, a mesma marca oferta os cintos de segurança nos assentos traseiros para uso dos passageiros do carro, mas também como opção dentro do pacote de segurança a ser adquirido junto à compra do carro, o pacote foi chamado de Lifeguard.

Foi somente no ano de 1958 que o cinto de segurança passou a ser incluído como padrão na fabricação dos modelos de carros da marca sueca Saab. Depois do lançamento do Saab GT 750 no New York Motor Show, é que o cinto de segurança comporia o rol dos equipamentos de série das marcas americanas e em grande parte das europeias.

Legalmente, em 1959, é que o congresso norte-americano aprova a lei que obriga a todos os automóveis de terem algumas regras de segurança em sua fabricação, o que incluiu a obrigatoriedade de conterem os cintos de segurança nesses veículos. Com isso, os norte-americanos Roger Griswold e Hugh DeHaven, ganharam a patente do primeiro cinto segurança de três pontos aprovado pelos padrões de segurança, modelo esse desenvolvido à forma de Nils Bohlin, da Volvo.





Em 1967, a empresa Volvo instalou cintos de segurança nos bancos traseiros de seus carros. Em seguida, em 1970, a primeira lei mundial referente à obrigatoriedade de uso de cintos de segurança em todos os automóveis foi posta em prática pelo estado de Victoria, na Austrália, mas ainda somente para o condutor e passageiro dianteiro do carro. Só em 1990, nos países da União Europeia, todos os novos ônibus que fazem viagens de longa distância passaram a ser equipados com cintos de segurança, inclusive para os seus passageiros. Atualmente, tem se discuto o uso de segurança nos comboios de trens urbanos, como é o caso do Japão.

O uso de cinto de segurança no Brasil é obrigatório por lei, seja pelos condutores, seja pelos passageiros do carro. Sujeito à lei e à aplicação de penalidade administrativa, não se trata apenas desse tipo de prejuízo, mas à suscetibilidade aos acidentes que podem ser fatais, sem o uso do cinto de segurança como item obrigatório desde os anos 80 no país.

Por Flávia Alves Figueirêdo Souza

Cinto de segurança



1 comentário em “Uso do cinto de segurança nem sempre foi obrigatório

  • tenho um caminhão mercedes mb1313 1970 ele tem cito 2 pontas so na cintura não estou encontrando algo pra recorrer da multa pois o guarda não viu no ombro e multou gostaria d ajuda sei q e original o cinto meu wathss 065 9 96943921

Quer deixar um comentário?

Seu e-mail não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados *